O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

CONFIRA NOSSAS PUBLICAÇÕES

Voltar
bulletin blog

Cantos alternativos para a CF/2019: FRATERNIDADE E POLÍTICAS PÚBLICAS

Para o povo das CEBs, CEBI e Pastorais Sociais,

vão, em anexo, 6 cantos alternativos compostos em anos passados e gravados, conhecidos de alguns e algumas de vocês, que poderiam ser retomados, imagino, com proveito.

Perdoem a insolência ou a pretensão descabida.

Com carinho pastoral e militante, Reginaldo Veloso

 

Cantos alternativos para a CF/2019

<<FRATERNIDADE E POLÍTICAS PÚBLICAS>>

 

(1) CANTANDO A JUSTIÇA E O DIREITO

(CD “Vida, o Sonho de Deus, fx. 8

 CD “Servidores do Reino” – PAULUS, fx. 2)

 

Cantando a justiça e o direito,

Cheguei para a festa começar...

Amigo, eu exijo respeito.

Não venha esta festa estragar!

A festa é da gente, é de todos.

Ninguém vai ficar só de olhar...

As mangas, amigo, arregace.

Só vibra quem participar.

 

A luta é começo de festa.

Só presta quem for de arriscar.

Só vale quem for de aventura,

Quem dura na luta a enfrentar...

O mundo pensando às avessas,

Com a pressa de quem quer chegar,

A ver o seu sonho mais lindo se concretizar.

 

(2) FERMENTO NA MASSA

(CD “Vida, o Sonho de Deus, fx. 13

 CD “Servidores do Reino”, fx. 4 )

 

Nós somos fermento na massa, ê-ô-ê-ô!

/:fermento na massa, óia nós!:/

O Reino de Deus é assim,

Foi Cristo quem disse pra mim!

/:o reino de deus é assim!:/

/:fermento na massa, óia nós!:/

Foi Cristo quem disse pra mim!

 

Fermento sem massa não serve, ê-ô-ê-ô!

/:fermento na massa, óia nós!:/

Sem ele a massa não cresce,

Fermento sem massa se perde!

/:o reino de deus é assim!:/

/:fermento na massa, óia nós!:/

Fermento sem massa se perde!

 

No céu anjo faz louvação, ê-ô-ê-ô!

/:fermento na massa, óia nós!:/

Na terra se faz mutirão,

Se luta por libertação!

/:o reino de deus é assim!:/

/:fermento na massa, óia nós!:/

Se luta por libertação!

 

Sou índia, sou negra, sou gente, ê-ô-ê-ô!

/:fermento na massa, óia nós!:/

Meu jeito de ser diferente,

Beleza do meu Continente!

/:o reino de deus é assim!:/

/:fermento na massa, óia nós!:/

Beleza do meu Continente!

 

Eu gosto é de comunidade, ê-ô-ê-ô!

/:fermento na massa, óia nós!:/

Partilha na diversidade,

 

Por imundície, descuido e outros ais,

De norte a sul, se mata em hospitais!...

Por desemprego, de fome e outros males,

Neste país, se mata muito mais!...

 

Em Mariana, se mata impunemente...

O que era DOCE escorre amargamente!

Em Brumadinho, a história se repete:

Infelizmente, morreu muito mais gente!

A Vale é vale de lágrimas somente,

É o Capital que explora, mata e mente!

 

CHACINA, A CHACINA É GERAL!

CHACINA, É A NEOLIBERAL!

CHACINA, A MATANÇA É GLOBAL!

CHACINA, QUEM JAMAIS VIU TANTO MAL?!...      (3 vezes: 1 solo+2 coro)

 

Mas os Sem-Terra avançam ocupando,

Reforma Agrária, assim é que se faz!

E por Saúde e Educação lutando,

O povo mostra de quanto é capaz!

Desempregados, unidos, vão gritando

Por pão e emprego, que a vida é muito mais!

 

A VIDA, SIM, A VIDA É QUE É LEGAL!

A VIDA, GRANDE DÍVIDA SOCIAL!

A VIDA, É A CAUSA PRINCIPAL!

A VIDA, É QUE É SENSACIONAL!

            (3 vezes: 1 solo+2 coro)

 

(5) ESCOLHE A VIDA - Ex 30,19-20                 (CD Emaús, fx 6)

a terra e os céus são, pois, testemunhas:

a vida a morte estão em tuas mãos!

escolhe a vida e então viverãs.

que sejas u’a bênção e não maldição!

 

1.Extingue-se a fauna,

Extingue-se a flora,

Das cinzas da morte

O império assola...

 

Do lucro voraz

A tecnologia

Polui mares e ares

E a terra agoniza!

 

2.Do morte o binômio

“ganância-exclusão”

Produz desemprego,

Sem-terra e Sem-pão...

 

De herege e bandido

A fome tem cara,

O tráfico avança,

Violência dispara!

 

3.Doenças e guerras,

Feito epidemias,

Dizimam nações

E encurtam os dias...

 

Ausenta-se o amor

Da face da terra

E a fraternidade

 

Riqueza da fraternidade!

/:o reino de deus é assim!:/

/:fermento na massa, óia nós!:/

Riqueza da fraternidade!

 

(3) BOCA DE POVO – Isaías 65,17-25

(ODC Part. I, p. 229)

 

/:boca de povo, povo

gritando o novo, novo

Deus-Amor mandou dizer:/

 

1.Eu vou criar um novo céu e nova terra

E o que passou, passou;

As misérias suportadas

Já não mais serão lembradas,

Todo mundo a se alegrar

Com o que eu vou criar!

 

2.Eu vou tornar Jerusalém uma alegria,

Todo o povo a sorrir;

Na cidade, eu vou vibrar,

Vendo o povo a se alegrar,

Já não mais se ouvirão

Choros nem lamentação!

 

3.Que já não mais as criancinhas pequeninas

Morrerão se se criar;

Ninguém mais vai falecer

Sem toda a vida viver,

Com cem anos, um menino,

Morrer antes, mau destino!

 

4.Que os trabalhadores casas construindo,

Nelas, eles vão morar;

Seus roçados plantarão,

Dos seus frutos comerão,

Ninguém mais constrói, nem planta,

Pra que outro more e coma!

 

5.Os meus eleitos, como árvores vivendo,

Do trabalho de suas mãos,

Eles vão, sim, desfrutar

E não mais em vão cansar,

Por Deus raça abençoada

Eles e a filharada!

 

6.Antes que eles por mim chamem, já respondo,

Inda pedem e já atendi;

Comerão bem juntos todos,

Boi, leão, cordeiro e lobo,

Nenhum mal, nem destruição

Em meu monte mais farão!

 

(4) CHACINA GERAL – II

(CD “Vida, o Sonho de Deus, fx. 6)

 

Em Eldorado, nas terras carajás,

Sem-Terra mortos por mãos policiais!...

No medo se encerra!

 

4.Mas eu vi a fonte

Da vida a jorrar

Do peito de Alguém

A vida a doar...

 

E quem de vocês

De vida tem sede,

Do bem, da justiça,

A Ele se achegue!

 

5.Eu sou o Caminho,

Quem diz é Jesus,

Eu sou a Verdade,

A Vida e a Luz...

 

Mundo outro é possível,

De vida e de paz,

Se houver militância

E gente que faz!

 

(6) SANTA MARIA CANTAVA

(CD OfÍcIo das Glórias, f. 6

 CD “Servidores do Reino” fx. 13)

 

santa maria cantava e seu povo repetia:

/:foi deus que escolheu os pobres

pra fazer suas maravilhas!:/

 

1. Ele viu o poderoso

a pensar que era um deus,

a mandar e desmandar,

oprimindo os filhos seus...

/:Deus o derrubou do trono

e nesse Dia ela aprendeu:/

 

2. Ele viu foi muito rico

A pensar que era um deus,

Ajuntando e esbanjando,

Explorando os filhos seus...

/:Deus deixou-o foi sem nada

E nesse Dia ele aprendeu:/

 

3. Deus olhou para os sem vez,

Humilhados filhos seus,

Fez ciente dos seus planos:

“Com vocês é que estou eu!”

/:Levantou suas cabeças,

Nesse Dia o Povo creu:/

 

4. Deus olhou pro povo pobre,

Os famintos filhos seus,

Fez saber sua decisão:

“De vocês é o Reino meu!”

/:Deus uniu a mãos dos fracos,

Nesse Dia o Povo creu!:/

 

5. Deus olhou e viu seu Povo,

Os queridos filhos seus,

Não conteve o seu prazer:

“O que eu prometi se deu:

/:O Pão se multiplicou

E fez festa o Povo meu!”:/