O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

20 de setembro de 2020

VIGÉSIMO QUINTO DTC - Ano A

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

25º Domingo do Tempo Comum

 

“GRATUIDADE, EXIGÊNCIA DO AMOR”

 

  1. Aprofundando os textos bíblicos: Isaías 55, 6-9; Salmo144(145); Filipenses 1,20c-24.27a; Mateus 20,1-16a:
  2. A parábola do bom patrão mostra que Jesus estava muito engajado e por dentro da vida e do sofrimento do seu povo. Mostra também que Ele é um profeta: do cotidiano da vida, ele arranca a novidade de sua mensagem, indo além da realidade. Com essa parábola, Jesus nos revela quem é Deus: Pai bondoso que age além da justiça e compreensão humana. O importante é que todos tenham o necessário para viver bem e ser feliz. Para a justiça do Reino de Deus, não há lugar para discriminações. Seu dom é sem medida e todos podem receber e participar da comunhão com Ele, não por merecimento pessoal, mas, gratuitamente pela sua graça e bondade.

Paulo está preso e correndo o perigo de morte. Sua reflexão é: “Uma só coisa importa: Viver à altura do Evangelho de Cristo!”

 

A grande escolha é viver bem, ser uma força positiva no mundo, ter uma vida que faça sentido. O capítulo 55 de Isaías é o final do Dêutero Isaías, onde ele insiste na conversão dos obstinados, na confiança na ternura e perdão de Deus, pois sua sabedoria ultrapassa a nossa e sua Palavra não decepciona. É uma palavra de esperança para o povo que está no exílio. Deus tem uma lógica diferente da nossa, não pensa como nós. A lógica de Deus é a lógica do amor que sempre acha um jeito de nos dar mais que merecemos.

  1. Atualizando: A nossa missão, nosso empenho, não é trabalho forçado, mas participação, não motivados pelo moralismo, pelo temor, mas pela graça pela gratidão e alegria por sermos convidados, ainda que tarde. O que importa não é o quanto fazemos, mas o como fazemos. Facilmente julgamos que as pessoas não se esforçam, não se engajam, não fazem o suficiente para participar do Reino. É necessário valorizar a boa vontade e desejo de participação dos que sempre ficaram à margem, excluídos na Igreja e na sociedade: as mulheres, os pobres, as crianças... 
  2. A palavra de Deus na celebração: Na celebração, o Pai justo e bom “patrão” nos chama para renovar conosco a aliança, dom gratuito do seu amor, selado em Jesus, com sua morte e ressurreição. Ele não nos trata mesquinhamente conforme nossa eficiência, mas na proporção da imensa ternura de seu coração. Todos, indistintamente, somos convidados a ouvir sua Palavra e participar do banquete da vida, por ele preparado e oferecido generosamente.
  3. Dicas e sugestões: Encontram-se no Dia do Senhor TC Ano A, p.223-228.

 

Maria de Lourdes Zavarez e M. Carmo de Oliveira

 

 

> 2 - Atualizando:     Os diversos momentos em que o proprietário sai em busca de trabalhadores, nos mostra que o Reino de Deus é inclusivo.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Isaías 55, 6-9; Salmo144(145); Filipenses 1,20c-24.27a; Mateus 20,1-16a:

> 4 - Dicas e Sugestões:    É necessário que haja igualdade e harmonia entre todos os membros da comunidade, da família, dos que se reúnem para orar na mesma fé em Jesus Cristo.

 

M. do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez