O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

15 de agosto de 2020

ASSUNÇÃO DE MARIA, MÃE DE JESUS!

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Assunção de Maria, Mãe do Senhor –  Ano A

 

1-Aprofundando os textos bíblicos: Apocalipse 11,19a; 12, 1.3-6a.10ab; Salmo 45(44); 1 Coríntios 15, 20-27; Lucas 1, 39-56.

O evangelho de hoje é um salmo em forma de ação de graças que Maria, mãe de Jesus, canta e celebra profética e jubilosamente, a memória de toda a história da salvação, não dela isolada, mas como filha e imagem do povo de Deus. Maria fala de Deus que está do dos pequenos: sacia de bens os famintos, derruba os poderosos e eleva os humildes. Ela celebra e canta o Deus da Aliança, aliado dos pobres e pequenos. É linguagem tradicional do AT. É o cântico de agradecimento pelo cumprimento da Aliança. O Magnificat é israelita, subversivo e escatológico. Isabel declara que Maria é a crente, em contraste com Zacarias que duvidou: “Bem-aventurada aquela que acreditou: o que lhe foi dito da parte do Senhor se cumprirá”.

A primeira leitura traz a mulher que gera o Messias. A mulher, adornada de esplendor, coroada de 12 estrelas, simboliza o povo das 12 tribos, perseguido pelo dragão, dominadores de todos os tempos, imagens de satanás. O dragão é descrito com sete cabeças, mas com 10 chifres. O chifre é símbolo do poder, mas o número dez revela sua limitação. O número 7 dá a impressão de coisa ilimitada, mas o número 10 o desmente.

A segunda leitura diz que a ressurreição de Jesus é o fundamento à ressurreição de todo ser humano; ele é a primícia da humanidade acolhida por Deus em sua glória. Maria segue-lhe o caminho, vencendo o último inimigo, a morte!

2-Atualizando: A ligação com Maria nos vem justamente porque ela é alguém entre os pequenos que Deus escolhe. Se declaramos muita devoção a Maria e pouco compromisso com os famintos e desamparados, estaremos fora da obra que Deus realiza com Maria, nossa Mãe e Mãe de Jesus. Será que temos intimidade com a Maria do “magnificat” e do apocalipse? Mulher profeticamente do lado dos que nada têm, por isso ressuscitada com seu Filho? 

3-A palavra de Deus na celebração: Como comunidade peregrina, grávida da salvação de Deus nos reunimos e vivemos a experiência de Maria, que vestida de sol e adornada de jóias bonitas, canta a esperança oferecida aos pequenos e pobres. Com ela sentamos à mesa do Pai e participamos do banquete do Reino, com seu Filho, saboreando antecipadamente a alegria de nossa assunção definitiva.

4-Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor TC, Ano A p. 319-328.

  • Preparar o local da celebração com um painel, ícone ou imagem de Maria.
  • Fazer uma acolhida fraterna da família, destacando a presença das mulheres.
  • O Evangelho poderá ser dialogado ou encenado e o cântico de Maria, cantado.
  • No momento das preces comunitárias, lembrar dos pequenos, pobres, dos doentes, dos que não tem casa para morar, dos desempregados...
  • Na louvação, entoar o bendito em forma de repetição, conforme sugestão da Revista de Liturgia, n. 172, p. 21: “É bom cantar um bendito/  um canto novo, um louvor!”
    • Ao Deus do céu, Pai bondoso, / Por Cristo nosso Senhor!
    • Ao Deus que enche de graça / Maria, Mãe do Senhor!
    • Ao Deus que fez maravilhas / naquela que acreditou!
    • Maria, serva fiel, / do Filho a voz escutou!
    • Maria, mãe dos que creem, / aos pés da cruz se encontrou.
    • Maria vitoriosa, / com Cristo à glória chegou.
    •  Co’a mãe, os/as filhas/os exultam, / cantando a Deus salvador!
    • Cantar o "Magnificat”.

Maria de Lourdes Zavarez e M. Carmo de Oliveira

 

 

> 2 - Atualizando:     Como comunidade peregrina, grávida da salvação de Deus nos reunimos e vivemos a experiência de Maria, que vestida de sol e adornada de jóias bonitas, canta a esperança oferecida aos pequenos e pobres. Com ela sentamos à mesa do Pai e participamos do banquete do Reino, com seu Filho, saboreando antecipadamente a alegria de nossa assunção definitiva.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Textos bíblicos: Apocalipse 11,19a; 12, 1.3-6a.10ab; Salmo 45(44); 1 Coríntios 15, 20-27; Lucas 1, 39-56. “Bem-aventurada aquela que acreditou: o que lhe foi dito da parte do Senhor se cumprirá”.

> 4 - Dicas e Sugestões:    Entoar o bendito em forma de repetição, conforme sugestão da Revista de Liturgia, n. 172, p. 21: “É bom cantar um bendito/ um canto novo, um louvor!” Ao Deus do céu, Pai bondoso, / Por Cristo nosso Senhor! Ao Deus que enche de graça / Maria, Mãe do Senhor! Ao Deus que fez maravilhas / naquela que acreditou! Maria, serva fiel, / do Filho a voz escutou! Maria, mãe dos que creem, / aos pés da cruz se encontrou. Maria vitoriosa, / com Cristo à glória chegou. Co’a mãe, os/as filhas/os exultam, / cantando a Deus salvador! Cantar o \"Magnificat” - \"O Senhor fez em mim maravilhas, Santo é o seu Nome...\"

 

M. do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez