O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

5 de outubro de 2019

VIGÉSIMO SÉTIMO DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO C

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Vigésimo sétimo domingo do Tempo Comum – 06/10/2019

(Salmos da terceira semana)

 

“POR QUE A JUSTIÇA E A BONDADE DE DEUS, E SUA SANTIDADE, TOLERAM O TRIUNFO DOS ÍMPIOS E CORRUPTOS?”

  1. Aprofundando os textos bíblicos:
  2. Habacuc 1,2-3; 2,2-4; Salmo 95(94); 2 Timóteo 1,6-8.13-14; Lucas 17, 5-10:

A Palavra hoje nos questiona sobre em quem confiar e a quem ser fiel. O evangelho anuncia que quem acredita e confia em Deus, vive sua força e entrega-se gratuitamente à luta pelo projeto dEle que é o sentido da vida. Os discípulos/as de Jesus pedem, mostrando a consciência da própria impotência: “Aumenta-nos a fé!”. Em sua resposta, Jesus se refere à amoreira, tendo como referência o primeiro livro dos Macabeus 6, 34, que se refere ao suco de amoras e uvas usado pelos elefantes durante as guerras. Jesus faz um paralelo entre a pequenez da semente de mostarda (fé), capaz de vencer a força da amoreira.

Este relato do Evangelho nada tem a ver com as reivindicações justas dos trabalhadores. Trata-se da nossa relação com Deus: somos “servos e servas” do Senhor, como Maria se declarou. Os patrões não são deuses e não temos que trabalhar gratuitamente a fim que alguns acumulem, conforme vimos nos domingos anteriores. De Deus recebemos o dom da fé; por menor que seja, é com ela que vamos responder quando somos chamados/as a servir o Reino. Com o chamado gratuito do Senhor e a graça da fé recebida,  já estamos recebendo a recompensa da escolha gratuita.

A primeira leitura nos diz que a fidelidade a Deus é que nos sustenta. Deus é questionado devido a situação de opressão, violência, disputas e guerras. Diante de tudo o profeta permanece em seu “posto de guarda”, e atento à resposta de Deus. A resposta de Deus vem através da história, em seu momento determinado. A ação de Deus deve ser esperada, mesmo que demore. O que nos torna justos é a fidelidade a Deus.

A segunda leitura afirma que a comunidade cristã recebeu do Espírito de Deus coragem, força, amor e sobriedade para dar testemunho do novo projeto trazido por Jesus Cristo. Com tudo o que recebemos, a missão é manifestar o “bom depósito”, o ensinamento de Jesus.   

2- Atualizando: A pessoa cristã só vive a sua fé quando promove eficazmente a liberdade, a justiça, a solidariedade. Essa luta é gratuita, não para ser reconhecida socialmente, mas por fidelidade à proposta de Jesus Cristo. Com que atos e atitudes manifestamos a medida de nossa fé? Como demonstramos ser tão somente servas e servos de Deus, sem direito a nada mais?

3- A palavra de Deus na celebração: Pela ação do Espírito, a Palavra de Deus alimenta e robustece nossa fé ainda tão frágil, mas como grão de mostarda nos faz capazes de ultrapassar limites e atingir a libertação que Cristo nos oferece como dom, na eucaristia, memória da entrega total de sua vida.

4- Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor, TC Ano C, p. 192-196.

 

 

> 2 - Atualizando:    

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Habacuc 1,2-3; 2,2-4; Salmo 95(94); 2 Timóteo 1,6-8.13-14; Lucas 17, 5-10:

> 4 - Dicas e Sugestões:   

 

M. do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez