O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

29 de setembro de 2019

Vigésimo sexto domingo do Tempo Comum – Ano C

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Vigésimo sexto domingo do Tempo Comum – Ano C

1-Aprofundando os textos bíblicos:

Amós 6,1a.4-7; Salmo 146(145); 1 Timóteo 6,11-16; Lucas 16, 19-31: No evangelho do domingo passado, nos foi anunciado que a comunidade cristã deve usar a riqueza para a justiça e a irmandade entre todos; em 16, 19-31 vemos o perigo fatal que a riqueza pode trazer aos amigos do dinheiro. Mais do que uma parábola, o texto de hoje é um comentário das bem-aventuranças de Lc 6,20.24. Não se trata da doutrina da retribuição, mas de uma crítica e advertência profética contra o modo farisaico de ver a sociedade, achando normal a existência de ricos e de miseráveis; aceitarem que alguns só tenham sofrimento e outros só alegrias. O Evangelho inverte a mentalidade conformista de pessoas e classes privilegiadas. É preciso mudar o modo de ver Deus e começar a agir como Ele. Deus julga o contraste social. Quem está longe de Deus e da humanidade cavou o abismo. Não foi Deus, nem o pobre, mas o próprio rico. O pobre Lázaro vive na intimidade com Deus, que o salva. O rico está no inferno, isto é, separado da vida autêntica, porque quis viver separado dos pobres. Chama atenção o fato de o pobre ser identificado pelo nome o que é importante na Bíblia. O rico não tem nome, mas trata Abraão de pai. A falta de fraternidade dos privilegiados para com os desfavorecidos se torna impiedade contra Deus. É o próprio homem que escolhe e sela o seu destino. O dinheiro e a riqueza tornam a pessoa cega, insensível, separada por muros, carros blindados... Há uma barreira entre o rico e Deus, e entre o resto da humanidade. Se o rico mantém esse abismo infernal, quem poderá transpô-lo?

O profeta Amós nos diz que o luxo de alguns é insulto aos pobres, pois são insensíveis à ruína do povo, causada por eles mesmos. Contra a elite, Amós levanta sua voz e anuncia que ricos, governo e militares serão os primeiros a serem deportados, na queda de Jerusalém, no ano 598 antes de Cristo.

2-Atualizando: Lázaro está aqui, no meio de nós, na figura de todos os pobres, indigentes e excluídos. A sua presença é o melhor apelo à consciência das pessoas. Chegar perto dos pobres é uma oportunidade que podemos dar a nós mesmos de recebermos uma oportunidade de conversão. Eles nos acordam para a solidariedade e a misericórdia.

D. Helder Câmara, no livro Mil razões para viver - Ed. Civilização Brasileira, escreveu o poema - APELO A LÁZARO:

“Pelo amor que tenho aos ricos / a quem não devo julgar / a quem não posso julgar / e que custaram / o sangue de Cristo - / eu te peço, Lázaro, / não fiques nas escadas / e não te deixes enxotar... / Irrompe banquete adentro, / vai provocar náuseas / nos saciados convivas. / Vai levar-lhes / a face desfigurada de Cristo / de que tanto precisam / sem saber e sem crer...”

3-A palavra de Deus na celebração: Acolhemos a Palavra viva e eficaz que nos desperta da ganância, da indiferença e nos indica a partilha solidária como verdadeiro caminho de salvação. Damos graças ao Pai pelo sacramento pascal que nos permite entrar na dinâmica amorosa do seu projeto, superando as injustiças e as desigualdades presentes em nossa realidade.

4-Dicas e sugestões:  Vejam no Dia do Senhor TC, Ano C p. 186-191.

 

 

> 2 - Atualizando:     D. Helder Câmara, no livro Mil razões para viver - Ed. Civilização Brasileira, escreveu o poema - APELO A LÁZARO: “Pelo amor que tenho aos ricos / a quem não devo julgar / a quem não posso julgar / e que custaram / o sangue de Cristo - / eu te peço, Lázaro, / não fiques nas escadas / e não te deixes enxotar... / Irrompe banquete adentro, / vai provocar náuseas / nos saciados convivas. / Vai levar-lhes / a face desfigurada de Cristo / de que tanto precisam / sem saber e sem crer...”

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Amós 6,1a.4-7; Salmo 146(145); 1 Timóteo 6,11-16; Lucas 16, 19-31

> 4 - Dicas e Sugestões:   

 

M. do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez