O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

21 de setembro de 2019

VIGÉSIMO QUINTO DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO C

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Vigésimo quinto domingo do Tempo Comum – Ano C

 

1-Aprofundando os textos bíblicos: Amós 8, 4-7; Salmo 113(112); 1 Timóteo 2, 1-8; Lucas 16, 1-13:

A parábola do administrador infiel pertence à seção que vai de Lc 9,51-19,27, chamada de viagem de Jesus a Jerusalém. Durante essa viagem, Jesus insiste que é preciso tomar uma posição a favor ou contra o seu projeto. Hoje o administrador seria chamado de atravessador. Era correto para a época conceder empréstimo com os bens do dono, porque ele não era remunerado. As taxas de juros eram altíssimas: 100% no caso do óleo e 20% no trigo. O atravessador indenizava-se aumentando a dívida, ao receber a importância dos empréstimos. Seu salário era a diferença e na parábola ele estava se privando dele. O empréstimo feito era 50 barris de óleo e 80 medidas de trigo. O que ele fez com os devedores nada tem com a denúncia que motivou sua demissão. O patrão concentra bens de primeira necessidade e vende aos que nada têm, como nos diz Amós. Na cidade acumula-se o excedente e explora-se o povo; nas aldeias, partilha-se. O administrador abre mão de todos os seus lucros e faz amigos com isso. Passa do sistema da cidade para o sistema das aldeias, que é para Lucas a forma de ser discípulo de Jesus e participar do Reino de Deus.

O dinheiro é um deus falso, potência que escraviza o mundo. Conforme o v 13, o dinheiro é um perigo muito grave, pois pode tornar-se ídolo. A primeira leitura deste domingo traz a crítica do profeta dirigida a três pontos: a) Os comerciantes detestam os dias festivos mensais (lua nova) e o sábado porque prejudicam seus lucros. b) Os comerciantes se enriquecem devido ao roubo na medida, no aumento do preço e na venda do refugo do trigo. C) Desrespeito aos pobres que para sobreviverem empenham até seus sapatos e correm o perigo de serem, eles próprios vendidos para saldar suas dívidas.

2-Atualizando: No capitalismo em que vivemos, a multidão de famintos e espoliados são o resultado da concentração de bens e poder de um pequeno grupo de ricos. A Palavra de hoje nos aponta a opção fundamental por Deus, em Jesus Cristo, rejeitando a ambição do acúmulo e da ganância, para criar novas relações de irmandade e justiça.

3-A palavra de Deus na celebração: Como assembleia fraterna nos reunimos para celebrar a ceia do Senhor. Mesmo que de condições econômicas diferentes, somos convidados à repartição dos bens, à ajuda solidária aos que sofrem para vivermos a autenticidade da eucaristia. Ela ficará estéril se a riqueza continuar sendo um sinal que nos divide.

4-Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor TC, Ano C p.180-185.

 

> 2 - Atualizando:     Jesus insiste que é preciso tomar uma posição a favor ou contra o seu projeto.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Textos bíblicos: Amós 8, 4-7; Salmo 113(112); 1 Timóteo 2, 1-8; Lucas 16, 1-13

> 4 - Dicas e Sugestões: