O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

25 de agosto de 2019

Vigésimo primeiro Domingo do Tempo Comum

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Vigésimo primeiro Domingo do Tempo Comum

1-Aprofundando os textos bíblicos: Isaías 66, 18-21; Salmo 117(116); Hebreus 12,5-7.11-13; Lucas 13, 22-30.

– O trecho de Isaías tem um tom apocalíptico, é tardio e traz o sonho messiânico de ver reunidos todos os povos na fé no Deus Libertador. O exclusivismo de algum povo será totalmente superado pela participação de todas as pessoas no culto e no sacerdócio. O tempo messiânico reconstituirá a unidade rompida pela torre de Babel.

A segunda leitura nos orienta sobre a pedagogia de Deus que nos corrige porque nos ama como filhas e filhos. No evangelho, Jesus continua sua caminhada para Jerusalém, quando é questionado sobre quem se salvará. A resposta se baseia na concepção de um pequeno resto, um pequenino rebanho fiel a Deus e se inspira em Isaias que fala da possibilidade de todos os povos serem herdeiros do Reino de Deus. A porta de entrada é estreita, exigente, e será fechada em um determinado momento. Não basta ter convivido fisicamente, comido com Jesus; é preciso tomar uma posição conforme a proposta do Reino. Apesar da exclusão dos primeiros chamados, Deus realizará o banquete do Reino com todos os povos, com os últimos. Qualquer um que responder ao convite, poderá entrar no Reino de Deus.

2-Atualizando: Não é possível sermos cristãos e vivermos acomodados, sentindo-nos seguros só por cumprirmos formalmente o que nos foi prescrito, e não assumirmos com o coração a proposta de Jesus, especialmente o amor solidário ao próximo. Ser cristão não é apenas um meio mágico de salvação.

3-A palavra de Deus na celebração: Na liturgia expressamos nossa vocação ao Reino que é comunhão, festa aberta a todos e não monopólio e nem privilégio de alguns. Como povo irmanado em Cristo, aceitamos seu convite para o banquete eucarístico, passando com Ele pela porta estreita da entrega da vida para que todos vivam com dignidade, fartura e alegria.

4-Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor TC, Ano C p. 159-161

 

> 2 - Atualizando:    

> 3 - A palavra de Deus na celebração:    

> 4 - Dicas e Sugestões: