O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

19 de agosto de 2019

Domingo da Assunção de Maria – (20o DTC)

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Domingo da Assunção de Maria –  (20o DTC)

 

1-Aprofundando os textos bíblicos:

Apocalipse 11,19a; 12, 1.3-6a.10ab; Salmo 45(44); 1 Coríntios 15, 20-27a; Lucas 1, 39-56.

Celebramos hoje as maravilhas que Deus fez na vida de Maria, serva, aberta, acolhedora da vontade dele e colaboradora na luta contra o mal. A mulher, adornada de esplendor, com imagens tradicionais, simboliza o povo de Deus, o antigo Israel, do qual nasceu Jesus, e o novo Israel, a Comunidade-Igreja, Corpo de Cristo, perseguido pelo dragão; o dragão era e é hoje os impérios dominadores de todos os tempos, imagens de satanás. A ação de graças colocada nos lábios de Maria é a celebração profética e jubilosa, o resumo de toda a história da salvação. Não é história dela somente, mas sua história como filha e imagem do povo de Deus. Maria fala de Deus que toma partido dos pequenos: sacia de bens os famintos, derruba os poderosos e eleva os humildes. Maria celebra e canta o Deus verdadeiro da Bíblia. O maior sinal da presença de Deus na história é a ressurreição de Jesus, vencedor do último inimigo, a morte! A primeira leitura nos fala de sinais que aparecem no céu. “Sinais”são as cenas com significado codificado. O grande sinal é uma mulher em dores de parto. São muitos os antecedentes bíblicos (Is 66,7-14; Os 13,13...) mostrando a comunidade de Israel em seu aspecto fecundo, a matriarca ideal em confronto com o patriarcalismo. Sinal da nova humanidade! O outro sinal é o dragão, antiga serpente de Gn 3,10, sempre hostil à mulher e sua descendência.

 

2-Atualizando: A ligação com Maria nos vem justamente por ser ela uma entre os pequenos que Deus escolhe. Se houver muita homenagem e pouco compromisso com os famintos e desamparados, estaremos fora da obra que Deus realiza com Maria. Será que temos devoção real à Maria do apocalipse e do “magnificat”, profeticamente do lado dos que nada têm, por isso ressuscitada com seu Filho?  A festa da Assunção de Maria nos convida a ser, como ela, discípulas/os do Senhor, anunciar as maravilhas que Deus fez e descer dos tronos para defender a vida para todos.

 

3-A palavra de Deus na celebração: Como comunidade peregrina, grávida da salvação de Deus, nos reunimos e vivemos a experiência de Maria, que vestida de sol e adornada de jóias bonitas, canta a esperança oferecida aos pequenos e pobres. Com ela sentamos à mesa do Pai e participamos do banquete do Reino, com seu Filho, saboreando antecipadamente a alegria de nossa assunção definitiva.

 

4-Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor TC, Ano C p. 256-264.

 

 

> 2 - Atualizando:     A ligação com Maria nos vem justamente por ser ela uma entre os pequenos que Deus escolhe.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Apocalipse 11,19a; 12, 1.3-6a.10ab; Salmo 45(44); 1 Coríntios 15, 20-27a; Lucas 1, 39-56.

> 4 - Dicas e Sugestões:   

 

M. do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez