O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

21 de julho de 2019

Décimo sexto domingo do Tempo Comum

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Décimo sexto domingo do Tempo Comum – Ano C

 

1-Aprofundando os textos bíblicos: Gênesis 18,1-10a; Sl 15(14); Colossenses 1, 24-28; Lucas 10, 38-42 –

Os textos de Gênesis e Evangelho nos falam da hospitalidade. A singular hospitalidade dos nômades, atestada pela atitude de Abraão, dá oportunidade de receber o próprio Deus. O hóspede é presença de Deus que traz a vida nova.

O evangelho traz Jesus em viagem rumo a Jerusalém; ele se hospeda em casa de Marta que tinha uma irmã chamada Maria. Ambas acolhem Jesus, cada uma de seu jeito: Marta, como Sara e Abraão, acolhe preparando uma refeição para o Senhor; Maria colocando-se a seus pés para acolher a Palavra. Os doutores do tempo de Jesus não explicavam as Escrituras às mulheres, mas ele veio para “dar vida a todos”, é o portador de “palavras de vida eterna” (Jo 6,68) e seu ensinamento deve ser ouvido por homens e mulheres.

O evangelho faz uma distinção entre o “importante” e o “necessário”. É importante acolher e oferecer coisas ao visitante; mas é necessário acolher a pessoa toda, com sua palavra e notícias; é necessário saber escutar. A vida é o único necessário. Marta e Maria são simbolicamente expressões da entrega ao projeto de Jesus. São complementares e não se opõem.

Na Bíblia há outras situações em que profetas e missionários são acolhidos por mulheres em sua casa: o profeta Eliseu: “Eliseu passou por Sunam. Havia aí uma mulher rica que o obrigou a comer em sua casa... 2Rs 4,8-10”; Pedro em Atos 12, 12-13: “Já lúcido, dirigiu-se à casa da mãe de João, apelidado Marcos, onde alguns estavam reunidos orando.” e Paulo em Atos 16,14-15: “...Lídia se batizou com toda a sua casa, e pedia: Se me tendes por fiel ao Senhor, vinde hospedar-vos em minha casa. E insistia conosco.”

2-Atualizando: Deus passa por nossa vida como um viajante, peregrino, necessitado. Convidando-o a entrar, nossa vida ganha em fecundidade e sentido. Quem acolhe um hóspede parece estar dando alguma coisa, mas de fato está recebendo o próprio Deus, como aconteceu com Sara e Abraão, Marta e Maria. Fundamental é acolher o dom da Palavra, o dom da Promessa de Deus em quem acolhemos.

Hoje somos convidados a fazer a experiência pascal da hospitalidade.

3-A palavra de Deus na celebração: A celebração é ação pascal de hospitalidade em que o Pai nos acolhe como hóspedes em sua casa. Por Cristo e em Cristo entrega-nos o Espírito de Amor, o “único necessário” e ceia conosco. Oferece-nos assim, “a melhor parte”: sua intimidade, a vida plena e a participação em seu Reino, tornando-nos atentos e sensíveis a todos os irmãos/as.

4-Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor TC, Ano C p.133-138.

 

 

 

> 2 - Atualizando:     O “importante” e o “necessário” -

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Textos bíblicos: Gênesis 18,1-10a; Sl 15(14); Colossenses 1, 24-28; Lucas 10, 38-42 –

> 4 - Dicas e Sugestões:   

 

M. Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez