O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

24 de junho de 2019

FESTA DE JOÃO BATISTA

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

João Batista

1- Aprofundando os textos bíblicos: Isaías 49,1-6; Salmo 139(138); Atos 13,22-26; Lucas 1, 57-66.80

O evangelho traz a narrativa do nascimento e circuncisão de João, culminando com a revelação do nome, João, que significa Deus tem piedade, misericórdia de Deus. O texto valoriza mais a circuncisão do que o nascimento de João. João nasce da gratuidade de Deus, é um presente que se mostra em várias circunstâncias, como na idade avançada dos pais, a novidade do nome do menino, a fala recobrada. Em Isabel e Zacarias é feita uma releitura dos patriarcas e matriarcas da Primeira Aliança. A alegria e a festa, a congratulação dos vizinhos e o reconhecimento da misericórdia do Senhor remontam também à felicidade de nossas matriarcas Sara, Rebeca... “Que felicidade! As mulheres me felicitarão” disse Lia. (Gn 30,13)

Maternidade da senhora idosa e seu parto feliz, pura misericórdia e bondade de Deus! Zacarias, sacerdote pobre do interior, havia ficado mudo porque não acreditou na possibilidade de um filho, duvidando da piedade de Deus, no momento em que servia no templo. O trecho 67-79, cântico de Zacarias, ao recuperar a fala, não contemplado na liturgia de hoje, é uma profecia sobre o futuro do menino. João crescia, fortalecia-se espiritualmente e viveu no deserto, fora da cidade, longe do templo e das sinagogas, até começar sua vida de pregação pública. A segunda leitura atesta que os cristãos não se esqueceram da pessoa, pregação e testemunho de João Batista. Sua atividade é lembrada como elo de união com a mensagem de Jesus. Ele veio preparar os caminhos do Senhor, pregando ao povo de Israel um batismo de conversão e penitência. Seu testemunho é muito lúcido e ele reconhece a messianidade de Jesus. A primeira leitura nos alerta que o profeta não vive para o aplauso e sucesso, mas para ser porta-voz de Deus. É um servo de Deus, e mais, é luz das nações, Jé espada afiada, flecha aguçada e está protegido à sombra de sua mão, escondida na aljava  de Deus, que o enviou.

2- Atualizando: João Batista faz-nos lembrar que pelo batismo cristão recebemos a missão de profetizar, denunciar toda forma de injustiça, mentira, corrupção, exploração e opressão que fere direito à vida. Somos convocados a não nos calar, vencer o medo, a insensibilidade e a omissão frente a esse mundo injusto. Manter a língua afiada na denúncia e anúncio do Reino de Deus para os pequenos e aqueles que são desconsiderados por esse mundo construído pelos grandes, como fez João Batista que denunciava os crimes dos reis, dizendo que o Messias viria restaurar a justiça e por isso era urgente a conversão.

3- A Palavra de Deus na celebração: Nesta celebração, acolhamos humildemente, o amor misericordioso de Deus, que nos ama além de nossas limitações e de nossas ações. Como João Batista que veio preparar um povo mais disposto a acolher a encarnação do Filho de Deus, abramo-nos à bondade de Deus que nos dirige no caminho da alegria, da paz e da salvação.

 

 

> 2 - Atualizando:    

> 3 - A palavra de Deus na celebração:    

> 4 - Dicas e Sugestões: