O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

11 de novembro de 2018

Trigésimo segundo Domingo do TC/ano B

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Trigésimo segundo Domingo do TC/ano B – 11/11/2018

Salmos da quarta semana do Saltério

1-Aprofundando os textos bíblicos: Marcos 12,38-44; 1 Reis 17, 10-16; Salmo 146(145); Hebreus 9,24-28:

O evangelho nos traz uma palavra profética contra autoridades corruptas e a narração, fato acontecido ou parábola, sobre a generosidade da viúva. Os letrados e doutores se vangloriavam de sua autoridade superior e exerciam influência dominante sobre o povo. São acusados de vaidade, exibicionismo e soberba; a segunda acusação é da exploração dos pobres, abuso das viúvas e do culto. A viúva vive a verdadeira religião no desprendimento e no culto verdadeiro da entrega total. Com as palavras sobre a atitude da viúva, Jesus termina seu ministério público, no evangelho de Marcos. Quis conservar para todas as gerações a figura dessa mulher, viúva, pobre e anônima. Palavra de esperança para os últimos e de denúncia para os que se julgam primeiros, sábios e donos da verdade.

Ao evangelho liga-se a primeira leitura com história da viúva de Sarepta, cidade da Fenícia. O pão é o termo que indica o alimento básico da população da roça. A viúva e os órfãos são os mais oprimidos da sociedade; muitas vezes viviam só das mesquinhas esmolas. Através de Elias, Deus repete o milagre do maná para a mulher confiante na palavra de Deus. O Sl 145/146 é um hino de louvor, celebrando o projeto de Deus, em oposição aos projetos dos poderosos deste mundo. Somos convidados a não confiar nos poderosos, mas nos apoiar no Senhor das promessas, da libertação, da aliança. Os vv 7-10, cantados hoje na liturgia, trazem dez ações do Senhor: faz justiça aos oprimidos, dá pão aos famintos, liberta os prisioneiros, abre os olhos dos cegos, endireita os encurvados, ama os justos, protege os estrangeiros, sustenta o órfão e a viúva, transtorna o caminho dos injustos e reina para sempre.

2-Atualizando: Duas viúvas pobres são a revelação de quem DEUS É e o que ELE Faz. Oferecer de si, como a viúva faz, é dar como Deus dá. Deus nos dá daquilo que Ele é. Dar a si é mais do que dar o que se tem. Jesus, pobre e servo, é a manifestação de Deus. Ele vê na viúva a verdadeira discípula do Reino do Pai. E nós, e nossa igreja, servimos a que projeto?

3-A palavra de Deus na celebração:  Aproximemo-nos do banquete eucarístico, com a simplicidade e autenticidade de coração da pobre viúva, fazendo do pouco que somos nossa total oferenda de louvor ao Pai, com Cristo pela vida do mundo. Vivemos em cada celebração o milagre da partilha, fruto da entrega total de Cristo pela redenção da humanidade, santuário da presença de Deus entre nós.

4-Dicas e sugestões: Encontram-se no Dia do Senhor, TC Ano B, p.208-212. 

Maria do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez

 

 

> 2 - Atualizando:    

> 3 - A palavra de Deus na celebração:    

> 4 - Dicas e Sugestões:    Salmos da quarta semana do Saltério