O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

14 de outubro de 2018

Vigésimo oitavo Domingo do Tempo Comum - ano B

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Vigésimo oitavo Domingo do Tempo Comum – Ano B

1-Aprofundando os textos bíblicos:  Marcos 10,17-30; Sb 7,7-11; Salmo 90(89); Hb 4, 12-13:

O Evangelho de hoje mostra uma pessoa muito animada, entusiasta, falante que começa elogiando Jesus e fazendo suas perguntas com toda a desenvoltura. Diante da proposta de Jesus, a mesma pessoa franze a testa, se entristece, se cala, se retira. Acompanhar Jesus, seu seguimento exige mudança de mentalidade, renúncia à riqueza. Quem tem o coração dividido, apego à riqueza, pode dizer que ama a Deus acima de tudo? Pode-se cumprir muitos mandamentos exigidos pela religião, menos o primeiro. A “esmola”, tão bem considerada na espiritualidade bíblica, não é renúncia total que Jesus pede. A segunda leitura coloca a sabedoria como o bem maior, preferível aos cetros, tronos, riqueza, pedra preciosa, ouro, prata, saúde e beleza.

O salmo é uma meditação profética sapiencial sobre o verdadeiro sentido da vida e do tempo; oração pedindo sabedoria e sensatez para aceitar a pequenez humana e reconhecer a bondade de Deus, que consolida a sua obra em nós.

2-Atualizando: Bom é título de Deus e a bondade é seu atributo. Jesus não procura sua honra pessoal, mas a do Pai. O rico, mesmo reconhecendo a bondade de Deus, não foi capaz de dar um passo adiante, mas retrocede, triste, sem ânimo para colocar o fundamental da vida em primeiro lugar e aceitar alegremente a exigência do caminho que nos torna semelhantes à bondade do Pai. A confiança no dinheiro se opõe à confiança em Deus. A Palavra de Deus nos corrige e nos questiona?

3-A palavra de Deus na celebração: O Pai nos envolve no mistério de seu amor, convidando-nos a nos despojar do que é superficial e provisório para vivermos na liberdade, a obediência de filhos/as. A Eucaristia é a expressão desta opção que fazemos com Cristo. Ele sendo rico torna-se pobre, dando a vida para que o Reino do Pai se concretize entre nós e, aos que o buscam, não falte nada.

4-Dicas e sugestões: Encontram-se no Dia do Senhor , TC Ano B, pp.141-144.

Maria de Lourdes Zavarez e

Maria do Carmo de Oliveira

 

 

> 2 - Atualizando:     A confiança no dinheiro se opõe à confiança em Deus. A Palavra de Deus nos corrige e nos questiona? Jesus parte para o que tem a ver com o primeiro mandamento, o amor a Deus sobre todas as coisas. Só lhe faltava “uma coisa”: vender tudo quanto possuía e dar o dinheiro aos pobres. E esse detalhe era tudo. Aí é que a “vida eterna” se manifestaria na sua vida, já agora: deixando tudo quanto possuía, deixava-se possuir por Deus e sua Bondade. E o papo terminou aí.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Marcos 10,17-30; Sb 7,7-11; Salmo 90(89); Hb 4, 12-13:

> 4 - Dicas e Sugestões:    Uma pergunta que não dá para não fazer: -- Nessa conjuntura “pré-segundo turno” das eleições, o que se exige de nós, em nome da radicalidade do AMOR?...