O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

9 de setembro de 2018

Vigésimo terceiro Domingo do Tempo Comum – Ano B

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

 

Vigésimo terceiro Domingo do Tempo Comum – Ano B

“Escutai, irmãos meus muito amados! Não foi Deus quem escolheu os que são pobres aos olhos do mundo para torná-los ricos na fé e herdeiros do Reino que prometeu aos que O amam?” (Tg 2,5)

1-Aprofundando os textos bíblicos: Marcos 7,31-37; Isaías 35,4-7a – Salmo 146(145); Tiago 2,1-5:

O evangelho de hoje é uma catequese inspirada em Isaías que traz cenas alegres exprimindo a bênção e a felicidade que Deus nos dá. A Nova Aliança (NT), ao usar essas expressões, mostra Jesus como o verdadeiro realizador da salvação de Deus. Ele é o restaurador da dignidade e da integridade física: ouvir e falar, capacidade de assimilar o mistério de Deus, é sinal do poder criador e libertador de Deus, manifestado em Jesus. Jesus traz a cura da falta de comunicação com Deus e também entre as pessoas. A ação de Jesus no Evangelho é como o trabalho que Deus opera na criação. A transformação das pessoas e da natureza, conforme a primeira leitura, reflete a glória de Deus. O salmo destaca as categorias que o Senhor tem predileção: oprimidos, famintos, cativos, cegos, encurvados, migrantes, órfãos e viúvas. A resposta da Igreja ao projeto de Deus, se mostra no amor e respeito, em palavras e obras aos mais pobres, conforme nos ensina a carta de Tiago. A exaltação dos pobres e a severa advertência aos ricos não deve ser uma atitude apenas verbal, mas sim a prática concreta da solidariedade.

2-Atualizando: Jesus passou a vida “fazendo o bem”; o seu toque cura. Somos discípulas e discípulos desse mesmo Jesus. Temos necessidade de ser tocados por Jesus nos olhos, nos ouvidos, na língua? Nosso engajamento a favor dos pequenos é bem concreto? A discriminação das pessoas não está de acordo com a adesão a JC. Em nossa comunidade como são tratados os mais pobres? E os mais ricos?

3-A palavra de Deus na celebração: Nossos olhos, ouvidos e boca são tocados e abertos para acolher a Palavra que nos revela o sentido da vida; a eucaristia  nos põe em profunda relação de unidade e igualdade de filhos e filhas diante do Pai e nos dispõe a sempre fazer o bem, como seguidores de Jesus.

4-Dicas para a celebração:

   No livro “Dia do Senhor”, Ano B, p. 121-124 encontram-se sugestões de cantos e dicas para a celebração, destacando o rito da unção dos ouvidos e da boca após o rito da Palavra. Um roteiro básico com alternativas para a ação de graças encontra-se nas p. 25-46.

Maria de Lourdes Zavarez e  Maria do Carmo de Oliveira

 

 

> 2 - Atualizando:    

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     “Escutai, irmãos meus muito amados! Não foi Deus quem escolheu os que são pobres aos olhos do mundo para torná-los ricos na fé e herdeiros do Reino que prometeu aos que O amam?” (Tg 2,5)

> 4 - Dicas e Sugestões: