O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

17 de junho de 2018

Décimo pimeiro Domingo do Tempo Comum - ano B

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Décimo primeiro Domingo do tempo Comum:

A SEMENTE E O GRÃO DE MOSTARDA

 

1-                 Aprofundando os textos bíblicos: Ezequiel 17,22-24; Sl 91; 2Cor 5, 6-10; Marcos 4, 26-34.

A profecia de Ezequiel é contra o rei de Judá; com a deportação da elite de Jerusalém, inclusive o rei, para a Babilônia, cumpre-se a ameaça. Os grandes são deportados e os pobres e pequenos ficam em Israel; o próprio Deus planta de novo seu povo que crescerá e se tornará um belo arbusto acolhedor dos passarinhos. A Palavra de Deus expressa hoje pelo evangelho e 1ª. leitura, revela o mistério do Reino de Deus, escondido e revelado aos discípulos de Jesus e à multidão. Sublinha a desproporção entre o tamanho da minúscula semente e a planta na qual se transformou. Nas colinas do mar da Galiléia o pé de mostarda atingia três metros de altura, ou mais. O Reino de Deus é assim, é uma árvore frondosa, larga e acolhedora das aves. A parábola do grão de mostarda esclarece o contraste entre o início e o desenvolvimento da ação de Jesus e dos cristãos. A proposta do reino, pequena, perseguida, mas resistente, torna-se universal, aberta a todas as nações e povos que aderem ao projeto de Deus. O Reino de Deus cresce no silêncio, devagarinho. O agricultor não vê a semente crescer. O mesmo acontece com as pequenas comunidades dos que buscam a vontade de Deus, conforme a palavra de Jesus Cristo. Jesus não é um homem de sucesso. Na cruz a semente morreu e foi plantada. Ressuscitou como árvore da vida. O Salmo 91(92), é uma ação de graças pelo nome do Altíssimo, pelo seu amor fiel, pelos atos de justiça de nosso Deus. A ação de graças é constante, dia e noite, a vida inteira. A segunda leitura nos diz que a história que fazemos enquanto moramos no corpo, é comparável ao exílio, uma vida longe do Senhor. “Habitar junto do Senhor” será a recompensa a quem tiver feito o bem, enquanto estava no corpo. Estar no corpo é como estar exilado.

2.                  Atualizando

Hoje, a Palavra de Deus nos ajuda a nos desligar da ideologia de um reino de Deus ostensivo. Nossa prática cristã é a de uma religião triunfalista, que se anuncia com ufanismo, sucesso, grandeza visível e numérica? Ou empenhamos nossa missão e serviço na comunidade que cresce organicamente, a partir do que é pequeno, contraditório e às vezes até invisível ao mundo? 

3-       A palavra de Deus na celebração:

 Fazemos memória de Jesus, que como pequeno grão aceitou ser lançado na terra pelo Pai e na força amorosa do Espírito, rompeu-se e desabrochou vitorioso no mistério de sua Páscoa. Confessamos confiantes e humildes nossa fragilidade e pequenez e suplicamos que o Senhor multiplique o pouco que somos segundo a medida de seu amor. Damos graças unindo-nos a todos que se fizeram sementes do Reino de Deus e oferecemos nossa vida, a serviço da VIDA.

4-       Dicas para a celebração:

Encontram-se no Dia do Senhor TC Ano B, p. 73-76, com uma proposta de bênção das sementes para serem distribuídas no final da celebração.

M. do Carmo de Oliveira e Maria de Lourdes Zavarez

 

 

> 2 - Atualizando:    

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Textos bíblicos: Ezequiel 17,22-24; Sl 91; 2Cor 5, 6-10; Marcos 4, 26-34

> 4 - Dicas e Sugestões: