O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

27 de maio de 2018

A Santíssima Trindade é a melhor comunidade.

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Solenidade Santíssima Trindade:

1-Aprofundando os textos bíblicos:

Mateus 28,16-20 – Esta é a conclusão do evangelho. O local é a Galiléia, onde tudo começou e agora se completa, no meio do povo pisado e marginalizado. A Galiléia é o rumo certo para os seguidores de Jesus, o Galileu.  Os versículos 16-17 falam de aparição de Jesus ressuscitado; vv. 18-19 traz ensinamento de Jesus como Messias; e no v. 20 tem a promessa de Jesus de estar sempre presente. “Ainda assim, alguns duvidaram”: Em todo evangelho de Mateus o verbo duvidar só aparece aqui e em 14, 31, onde Pedro duvida e afunda na água. Duvidar é falta de fé e falta de percepção mais profunda do sentido da prática de Jesus; é medo de arriscar-se e de se comprometer com o projeto de Jesus morto e ressuscitado. Mateus não fala da Ascensão, mas este texto supõe que o Cristo já tenha subido aos céus.  Referindo-se à montanha da Galiléia, Mateus se reporta à montanha da Transfiguração ou da tentação, onde Jesus não aceitou receber do demônio o domínio sobre as nações; agora proclama que recebeu de Deus essa autoridade. Jesus aceita ser o Messias para toda humanidade, contrariamente ao que havia declarado em sua pregação. O batismo une à pessoa de Jesus Salvador; toda ação salvadora procede do amor do Pai e se completa pelo amor do Espírito santo; pela expressão “em nome de” se estabelece uma relação pessoal entre a pessoa batizada e a Trindade.  

Deuteronômio 4,32-34.39-40 – Este capítulo é um acréscimo do tempo do exílio da Babilônia, desmascarando os ídolos e firmando a fé em um único Deus, o Deus que liberta. Israel, primeiramente reconheceu o Senhor como o Deus Libertador presente na história do povo.  Á medida que se aprofunda a reflexão, descobre que ele é também Criador e Pai, origem da humanidade e de todas as coisas. Esta é a única passagem de Deuteronômio confessando que Deus é Criador. Deus cria, liberta da opressão e faz uma aliança com o seu povo. Deus usa muitos recursos para libertar: provas, sinais, prodígios, luta, mão forte, braço estendido e grande terror! Nosso Deus é único, original e parceiro fiel! Faz e mantém uma Aliança conosco!  

Salmo 33(32)- Neste salmo surgem duas características de Deus: Ele é o Criador e o Senhor da história. Não é somente o Deus de Israel, mas de toda a humanidade.

Romanos 8,14-17 – O Pai é o doador da vida, por meio do Espírito, nos tornando filhos e filhas. Essa filiação nos dá como herança a verdadeira terra prometida, com a condição de sermos fiéis no seguimento de Jesus, participantes de seus sofrimentos, morte e ressurreição.

2-Atualizando: A Santíssima Trindade é a melhor comunidade. Pelo batismo, somos mergulhados no mistério do seu amor, participantes da vida trinitária. Como herdeiras(os) da Trindade, vivemos em comunhão, participamos da transformação da realidade atual, até que o mundo todo seja sinal do mistério de nosso Deus Comunitário?

3-A palavra de Deus na celebração:

Na liturgia participamos mais intimamente da comunhão trinitária e somos renovados na certeza de sermos filhas/filhos e não escravos. Em ação de graças e santificados pelo Espírito, nos oferecemos com Cristo ao Pai e assumimos ser comunicadores da salvação a todos os povos.

4-Dicas para a celebração:

As sugestões encontram-se no Dia do Senhor Tempo Comum, Ano B, p. 175-180. A bênção e a aspersão da água renovando o batismo será um rito muito significativo neste dia. Importante é realçar a dimensão trinitária de toda a celebração.

M. do Carmo de Oliveira e Maria de Lourdes Zavarez

 

 

> 2 - Atualizando:    

> 3 - A palavra de Deus na celebração:    

> 4 - Dicas e Sugestões: