O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

22 de outubro de 2017

Vigésimo nono domingo do TC - Ano A

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

~~29º Domingo do Tempo Comum - Ano A
(Dia Mundial das Missões e da Obra Pontifícia da Infância Missionária)

1- Aprofundando os textos bíblicos: Mateus 22,15-21; Isaías 45, 1.4-6; Salmo 95(96); 1Tessalonicenses 1,1-5b: O termo hebraico “messias”, em grego “khristos”, significa “aquele-que-é-ungido”pelo Senhor. A unção com óleo era sinal da penetração do Espírito de Deus, investindo uma pessoa para a missão: de rei, de sacerdote, ou de profeta. Ciro, que era rei dos persas em 550 a. C., derrubou o império babilônico e permitiu que o povo de Deus voltasse à sua terra e reconstruísse o templo e cidade de Jerusalém. Esse rei pagão, vencendo a Babilônia e dando liberdade ao povo exilado, está sendo escolhido por Deus para estabelecer a justiça na história. Está devolvendo a Deus o que é de Deus – o povo sofrido, que é centro das atenções de Deus. O evangelho nos fala de herodianos e fariseus; os primeiros são favoráveis aos romanos; os fariseus consideravam a presença romana como castigo de Deus. Mas, mesmo não sendo amigos, unem-se para apanharem Jesus em uma conspiração premeditada. A pergunta toca a vertente econômica da política, na qual entra em jogo a lealdade e submissão ao poder imperial. Porém tem uma conotação religiosa, porque na moeda estava escrito que Tibério César era “divino”. Jesus é muito hábil em sua resposta que denuncia a hipocrisia, desfaz a armadilha que lhe armam e oferece um ensinamento acima do nível proposto pelos inimigos: se eles possuem a moeda é porque aceitaram as condições impostas pelo império. Jesus afirma que acima de qualquer poder humano está Deus e seu povo, criado a sua imagem e semelhança. Não se trata de devolver a vil moeda, mas devolver a Deus o seu povo que não deve se submeter a homens que se colocam no lugar de Deus.

2- Atualizando: Neste momento de tanta corrupção á fácil compreender a Palavra de Deus deste domingo. O dinheiro domina a pessoa de tal forma que se perde completamente a noção de dignidade, de direito, de justiça e de respeito. “Dinheiro  na mão é tentação” e uma questão mal resolvida dentro de cada um de nós, na sociedade e na política. E na Igreja, na comunidade, como nos organizamos para ficar livres da ganância do poder e do dinheiro?

3- A palavra de Deus na celebração: Como cidadãos do mundo nos reunimos, filhos /as do mesmo Pai em assembléia de irmãos para a partilha do Pão da vida. Com Jesus nos entregamos ao Pai. Damos assim a Ele, na liberdade de filhos, o que realmente lhe pertence. Ele nos fortalece para vencer toda armadilha maldosa e levar em frente seu projeto.

4- Dicas e sugestões: Encontram-se no Dia do Senhor TC Ano A, p. 249-254.
 Onde for costume, preparar o espaço celebrativo com um painel ou cartaz missionário. Destacar a mesa da Palavra com fitas nas cores dos cinco Continentes: verde, lembrando a África, o vermelho, identificando a América, o amarelo ligado a Ásia, o azul lembra a Oceania e o branco, a Europa. 
 Após a saudação que poderia ser inspirada na 2ª leitura, lembrar o sentido e os motivos da celebração, trazendo presente nomes de pessoas conhecidas que estão em ação missionária, em áreas além-fronteiras.
  Na celebração da palavra, o ato penitencial poderá ser realizado após a homilia, expressando reconciliação entre fé e política, provocada pela Palavra de Deus proclamada.
 A profissão de fé motivada a partir desta reconciliação, poderá ser dialogada.
 Nas preces, lembrar de tantos missionários e missionárias que se dedicam ao trabalho missionário junto aos mais pobres e necessitados, em nosso país e em além-fronteiras.
 Quem preside poderá aproveitar algumas orações indicadas para a Celebração pela “Evangelização dos povos”, apresentada pelo Missal Romano(cf. Missas para Diversas circunstâncias, 14 A e B)
 O envio em missão, nos ritos finais deve motivar a comunidade a assumir com maior entusiasmo sua vocação missionária dentro e fora da Igreja.
 Para a bênção final, segue a sugestão: A comunidade é convidada a voltar-se para a porta de saída, ou na direção dos quatro pontos cardeais, abrangendo todas as direções, enquanto quem preside faz a oração:                                 
D- O Senhor esteja convosco. /T- Ele está no meio de nós!
D- O Deus Pai, que em Jesus manifestou a solidariedade e a caridade, vos faça mensageiros do Evangelho e testemunhas do seu amor no mundo.
T: Amém!
D- O Senhor Jesus que prometeu à sua Igreja estar a seu lado até o fim dos tempos, dirija os vossos passos e confirme as vossas palavras. T. Amém!
D- O Espírito Santo esteja sobre vós, para que, percorrendo os caminhos do mundo, possais evangelizar os pobres, das vista aos cegos e curar os corações humilhados e contritos. T. Amém!
D- Abençoe-vos o Deus... T. Amém!
Maria do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez

 

 

> 2 - Atualizando:    

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Mateus 22,15-21; Isaías 45, 1.4-6; Salmo 95(96); 1Tessalonicenses 1,1-5b

> 4 - Dicas e Sugestões: