O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

1 de outubro de 2017

Vigésimo sexto domingo do TC ano A

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

 

> 2 - Atualizando:     Jesus nos ensina a reconhecer a justiça das pessoas que não têm boa fama, mas praticam a justiça. Ensina-nos a denunciar, para o bem delas e de todos que sofrem sua influência, as que têm boa fama, são considerados santos, mas não praticam a justiça, conforme o projeto do Pai. Jesus é o Filho que diz sim e faz o que o Pai decidiu. Também todas as pessoas que acolhem e seguem concretamente Jesus, cumprem a vontade do Pai. Será que temos ficado apenas nas palavras? A palavra de Deus na celebração: Lit-urgia mais do que palavras, preces, aclamações e cânticos, é ação de graças = eucaristia; é entrega de nossa vida ao Pai, com Cristo, o Filho fiel que provou sua obediência na cruz. Ação que deve ser testemunhada no cotidiano de nossas lidas e lutas pela realização da vontade do Pai, o Reino de justiça, amor e paz a ser estabelecido quanto antes, entre nós.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Aprofundando os textos deste domingo: Ezequiel 18,25-28; Salmo 24(25); Filipenses 2,1,11; Mateus 21,28-32: O Evangelho conta a parábola de pessoas que dizem “sim, senhor”, prometem, mas não fazem e outras que dizem “não”, mas se arrependem. Jesus ensina que o importante é a ação concreta conforme do projeto de Deus. Só palavras de nada valem. Fazendo o que Deus espera, quem é pecador torna-se justo; não fazendo, quem se considera justo, torna-se pecador. A 1ª. Leitura está no contexto do Exílio da Babilônia; entre o povo havia a idéia de que o pecado marcava para sempre a vida e a descendência de quem pecava. Ezequiel, como porta-voz de Deus, mostra que a salvação de uma pessoa não depende de seus antepassados e parentes. O que importa é a disposição do coração no momento presente. Deus nos julga conforme o que somos hoje. Nunca é tarde para se arrepender, porque Deus quer a vida para todos. Filipos foi a 1ª. Cidade da Europa que recebeu a mensagem cristã, entre os anos 55-57; mas a comunidade estava dividida por causa do espírito de competição e egoísmo. Por isso, Paulo, na carta aos filipenses apresenta Jesus como modelo de filho fiel e obediente que se torna servo, e convida os que se dizem seguidores dele a terem “o mesmo sentimento que existe em Cristo Jesus”.

> 4 - Dicas e Sugestões:    Encontram-se no Dia do Senhor TC Ano A, p.229-234.  Cuidar para que o espaço celebrativo seja acolhedor e neste dia da Bíblia dê maior destaque à mesa da Palavra.  Sugestão para a saudação inicial: D- “Saúdo-vos irmãos e irmãs, em nome do Senhor presente entre nós. Desejo-vos que a palavra viva do Senhor seja lâmpada para os vossos pés, luz para os vossos caminhos, força e alimento na caminhada de seguir Jesus, Caminho, Verdade e Vida.” T: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!  Dar especial atenção a toda a liturgia da palavra, sobretudo ao canto do salmo e á proclamação do evangelho, que hoje também poderá ser cantado.  Na Profissão de fé, a assembléia estende a mão direita em direção à mesa da palavra e renova sua adesão à Palavra proclamada, meditada e aceita. Outra alternativa será cantar a profissão de Fé, conforme texto abaixo. Uma pessoa ergue o livro da palavra enquanto a assembléia canta o refrão, levantando o braço direito: D- Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador da terra e do céu. T- Esta é a nossa fé, bendita seja a Palavra de Deus! - Creio em um só Senhor, Filho eterno do Pai, que por amor de nós se fez homem. - Creio no Espírito Santo, Fonte de graça e vida, que do pai procede e do Filho. - Creio na Santa Igreja, Povo de Deus, em marcha., sob a guia de seus pastores. - Creio na vida eterna, quando o senhor vier, pra julgar os vivos e os mortos.  Na celebração da palavra, após o rito da palavra cantar a louvação “Elogio à Palavra” , conforme sugestão já feita nos domingos anteriores.  Cantar o prefácio com o Santo, as aclamações e o Amém final da Oração Eucarística. Em harmonia com a 2ª leitura, escolher o prefácio do Tempo Comum VII, que enaltece a obediência de Cristo.  No Hinário Litúrgico III, pág. 256-7, poderá ser encontrado canto para a comunhão relacionado com o evangelho deste domingo. Nas pág. 144-5 encontra-se a melodia para o salmo responsorial e na pág, 127, uma proposta para o canto de abertura.  A Bênção final poderá ser cantada e feita com o livro da Palavra de Deus.

 

Maria do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez