O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

5 de março de 2017

Primeiro Domingo da Quaresma – ANO A

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Primeiro Domingo da Quaresma – ANO A


1-Aprofundando os textos bíblicos:

Mateus 4, 1-11 – Gênesis 2,7-9; 3,1-7, Romanos 5,12-19 – Salmo 51 (50): O evangelho de hoje narra a recusa de Jesus a um projeto conforme as estruturas do mundo. Suas respostas a Satanás se baseiam em Deuteronômio, livro que traz a reflexão teológica sobre a experiência do povo de Israel no deserto. Jesus aparece como o novo Israel tentado no deserto, como indicam as citações do Dt 8,3 – “de tudo o que sai da boca do Senhor; Dt 6,16”- “Não tentarás o Senhor teu Deus” e Dt 6,13 – “só ao Senhor teu Deus servirás”. Mateus destaca o confronto entre o plano do Pai e o seu oposto. Ao contrário do povo no deserto e de Adão no paraíso (1a. leitura), Jesus sai vencedor; não se separou do plano do Pai. A Satanás que cita a escritura usando-a ao pé da letra, Jesus responde dando-lhe o sentido fundamental. No v. 11 do evangelho aparece o verbo servir, significando servir à mesa, dar de comer; Jesus recebe de Deus o alimento que recusou providenciar para si mesmo, obedecendo a Satanás. Jesus ensinará seus discípulos a pedi-lo e recebê-lo do Pai e a providenciar o pão para a multidão dos pequeninos que nada têm. Na 2a. leitura, Paulo fala da obra de Cristo que com sua obediência ao Pai trouxe a salvação.

2-Atualizando:

A tentação fundamental é a auto-suficiência. É querer ocupar o lugar de Deus, ou manipular Deus em benefício próprio. Ser filho de Deus, seguidor de Jesus não é privilégio que nos coloca acima dos outros, mas é serviço. Jesus, filho e servo de Deus, vence o pecado e a morte. A comunidade cristã tem entendido seu poder como serviço, ou tem exercido seu serviço como um poder de dominação? O triunfalismo, o sucesso da Igreja é uma perversão que nos ameaça continuamente e nos afasta do verdadeiro seguimento de Jesus Cristo. 

3-A palavra de Deus na celebração:

Bendizemos a Deus pela Palavra que abre nossos olhos para discernir, nas contradições da vida, seu plano amoroso. Somos fortalecidos no caminho de Jesus, vencendo com Ele a auto-suficiência e a ganância e vivermos com fidelidade nossa vocação fundamental, por isso suplicamos: “Não nos deixes cair em tentação!” Na eucaristia, saboreamos antecipadamente, do fruto da vida plena. 

4-Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor TC, Ano A p. 57-60.
 

 

> 2 - Atualizando:     Mateus 4, 1-11 – Gênesis 2,7-9; 3,1-7, Romanos 5,12-19 – Salmo 51 (50): A tentação fundamental é a auto-suficiência. É querer ocupar o lugar de Deus, ou manipular Deus em benefício próprio. Ser filho de Deus, seguidor de Jesus não é privilégio que nos coloca acima dos outros, mas é serviço. Jesus, filho e servo de Deus, vence o pecado e a morte. A comunidade cristã tem entendido seu poder como serviço, ou tem exercido seu serviço como um poder de dominação? O triunfalismo, o sucesso da Igreja é uma perversão que nos ameaça continuamente e nos afasta do verdadeiro seguimento de Jesus Cristo. Deus nos fala na celebração: Bendizemos a Deus pela Palavra que abre nossos olhos para discernir, nas contradições da vida, seu plano amoroso. Somos fortalecidos no caminho de Jesus, vencendo com Ele a auto-suficiência e a ganância e vivermos com fidelidade nossa vocação fundamental, por isso suplicamos: “Não nos deixes cair em tentação!” Na eucaristia, saboreamos antecipadamente, do fruto da vida plena.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Mateus 4, 1-11 – Gênesis 2,7-9; 3,1-7, Romanos 5,12-19 – Salmo 51 (50): O evangelho de hoje narra a recusa de Jesus a um projeto conforme as estruturas do mundo. Suas respostas a Satanás se baseiam em Deuteronômio, livro que traz a reflexão teológica sobre a experiência do povo de Israel no deserto. Jesus aparece como o novo Israel tentado no deserto, como indicam as citações do Dt 8,3 – “de tudo o que sai da boca do Senhor; Dt 6,16”- “Não tentarás o Senhor teu Deus” e Dt 6,13 – “só ao Senhor teu Deus servirás”. Mateus destaca o confronto entre o plano do Pai e o seu oposto. Ao contrário do povo no deserto e de Adão no paraíso (1a. leitura), Jesus sai vencedor; não se separou do plano do Pai. A Satanás que cita a escritura usando-a ao pé da letra, Jesus responde dando-lhe o sentido fundamental. No v. 11 do evangelho aparece o verbo servir, significando servir à mesa, dar de comer; Jesus recebe de Deus o alimento que recusou providenciar para si mesmo, obedecendo a Satanás. Jesus ensinará seus discípulos a pedi-lo e recebê-lo do Pai e a providenciar o pão para a multidão dos pequeninos que nada têm. Na 2a. leitura, Paulo fala da obra de Cristo que com sua obediência ao Pai trouxe a salvação.

> 4 - Dicas e Sugestões:    Vejam no Dia do Senhor TC, Ano A p. 57-60.

 

Maria do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez