O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

26 de fevereiro de 2017

Oitavo Domingo do Tempo do Discipulado e da Missão - A

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Oitavo Domingo do Tempo do Discipulado e da Missão - A
DOMINGO DOS LÍRIOS E DOS PASSARINHOS

Mt 6,24-34
Atentos às lições que a sábia Natureza gratuitamente nos oferece, todo dia, de olho nos lírios e nos passarinhos, a todo instante, precisamos fazer nossa escolha, nossa opção fundamental: Deus ou o Dinheiro!
A quem temos servido, em quem temos confiado, o que ou quem tem dado sentido a nossas vidas?...
Chegando para a celebração, no Dia do Senhor, com que disponibilidade vamos escutar sua Palavra, com que generosidade vamos celebrar a Ceia, em sua memória?...
Até onde tem ido a entrega de nossas vidas, em comunhão com Aquele, que nos amou e entregou sua vida por nós, pela humanidade, pela causa do Reino?... Que qualidade, que autenticidade, que verdade e que alegria terá nossa liturgia, nosso canto?...

O tempo é de CARNAVAL! Algum incômodo ou constrangimento essa palavra causa a certos ouvidos. Uns, por razões de “economia”, veem no Carnaval um desperdício: de tempo, de dinheiro e de energias... Outros, sentem o Carnaval como uma loucura, um excesso, uma depravação, um pecado... Todos eles e elas têm um tanto de razão, só não enxergam que esses mesmos “desperdícios”, “excessos” e “pecados” acontecem em muitas outras experiências e manifestações da vida e da cultura do povo, algumas até “religiosas”.
Hipocrisias à parte, não seria interessante observar, também, o tanto de arte e beleza, de sadia confraternização e alegria, de saudável lazer, que para tanta gente o Carnaval proporciona?...Para quem sabe aproveitar bem este tempo de brincadeira e descontração, de reencontros, arejamento e revitalização, o Carnaval “só” nos prepara para “o dia seguinte”, de retomada das tarefas do cotidiano, das lutas sociais e, até, de renovação da vida espiritual, pela participação na caminhada quaresmal.
*

ALELUIA! ALELUIA! ALELUIA! ALELUIA!
Porque eu lhes contei tudo
Quanto o Pai me revelou!
ALELUIA! ALELUIA! ALELUIA! ALELUIA!

 (4) Ofertório:A VÓS, SENHOR   (HIN III p. 417)

A VÓS, SENHOR, APRESENTAMOS ESTES DONS:
O PÃO E O VINHO. ALELUIA!

1.Que poderei retribuir ao Senhor Deus
Por tudo aquilo que ele fez em meu favor?...

2.Elevo o cálice da minha salvação,
   Invoco o nome santo do Senhor!

3.Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
   Na presença de seu povo reunido!

4.Por isso oferto um sacrifício de louvor,
   Invocando o nome santo do Senhor!

(5) Comunhão: OLHAI PARA OS LÍRIOS
             (melodia e salmo: HIN III p. 248s)

OLHAI PARA OS LÍRIOS, OLHAI PARA AS AVES,
TÃO BELAS E ALEGRES, SEM NADA FALTAR...
BUSCAI A JUSTIÇA DO REINO DE DEUS,
MELHOR ASSISTÊNCIA ELE HÁ DE VOS DAR!

1.Vamos juntos dar glória ao Senhor
   E a seu nome fazer louvação...
   Procurei o Senhor, me atendeu,
   Me livrou de uma grande aflição!

   Olhem todos pra ele e se alegrem,
   Todo tempo sua boca sorria!
   Este pobre gritou e ele ouviu,
   Fiquei livre de minha agonia.

2.Acampou na batalha seu anjo,
   Defendendo seu povo e o livrando.
   Provem todos pra ver como é bom
   O Senhor que nos vai abrigando.

   Santos todos, adorem o Senhor,
   Aos que o amam nenhum mal assalta...
   Quem é rico empobrece e tem fome,
   Mas, a quem busca a Deus nada falta!

3.Ó meus filhos, escutem o que eu digo,
   Pra aprender o temor do Senhor...
   Qual o homem que ama sua vida,
   E a seus dias quer dar mais valor?...

   Tua língua preserva do mal
   E não deixes tua boca mentir.
   Ama o bem e detesta a maldade,
   Vem a paz procurar e seguir!

4.Sobre o justo o Senhor olha sempre,
   Seu ouvido se põe a escutar...
   Que teus olhos se afastem dos maus,
   Pois, ninguém deles vai se lembrar!

   Deus ouviu quando os justos chamaram
   E livrou-os de sua aflição... 
(1) Abertura: SÊ A ROCHA – Sl 31(HIN III p. 121)

SÊ A ROCHA QUE ME ABRIGA,
CASA FORTE QUE ME SALVA;
PARA HONRA DO TEU NOME,
ÉS O GUIA QUE ME AMPARA!

1.Ponho em Deus minha esperança,
   Que eu não seja envergonhado...
   Já que és justo, me defende!
   Sei que eu vou ser libertado.
   Vem ouvir a minha voz,
   Eu estou angustiado.

2.Sê pra mim uma rocha firme,
   Sê pra mim seguro abrigo,
   Sê pra mim uma fortaleza,
   Me orienta e eu vou contigo;
   Eu te entrego o meu espírito,
   Desde agora, eu te bendigo!

3.Quem confia em tua face,
   Vai vencer os intrigantes;
   Recebido em tua tenda,
   Proteção terá constante;
   Sê bendito, meu Senhor,
   Sê bendito a todo instante!

4.Eu dizia na aflição:
   “Deus não quer saber de mim!”
   Vejo agora que me ouviu,
   Quando eu reclamava assim;
   Santos todos, amem, louvem
   O Senhor, até o fim!

(2) Salmo de resposta: SÓ EM DEUS+ Sl 62
(HIN III  p. 136s)
SÓ EM DEUS A MINH’ALMA TEM REPOUSO,
SÓ ELE É UM ROCHEDO E SALVAÇÃO!

Só em Deus a minh’alma tem repouso
Porque dele é que me vem a salvação!
- Só ele é meu rochedo e salvação,
  A fortaleza onde encontro segurança!

Até quando atacareis um pobre homem,
Todos juntos procurando derrubá-lo,
- Como parede que começa a inclinar-se,
  Ou um muro que está prestes a cair?...

A minha glória e salvação estão em Deus;
O meu refúgio e rocha firme é o Senhor!
- Povo todo, esperai sempre no Senhor
  E abri diante dele o coração!

(3) Aclamação: ALELUIA!+ Jo 15,15
 (melodia do 8º Dom: HIN III, p. 212)

ALELUIA! ALELUIA! ALELUIA! ALELUIA!(bis)
Eu chamei vocês de amigos,
Quem nos diz é o Senhor,
*

   Está perto de quem se arrepende,
   Ao pequeno ele dá salvação!

5.Para o justo há momentos amargos,
   Mas vem Deus pra lhe dar proteção...
   Ele guarda com amor os seus ossos,
   Nenhum deles terá perdição!

   A malícia do ímpio o liquida,
   Quem persegue o inocente é arrasado...
   O Senhor a seus servos liberta,
   Quem o abraça não é castigado!
________________________________________________________________________________________________________________________

PÁSCOA À VISTA!

Isso é para lembrar que, passado o Carnaval, com suas brincadeiras e alegrias, com as energias recobradas, corações leves e mentes desafogadas, Quarta-feira de Cinzas, começa um tempo de preparação dessa grande experiência anual: um povo que ressuscita “por Cristo, com Cristo e em Cristo”, desencadeando a seu redor todo um dinamismo de mudança e renovação.
Quaresma, um tempo de mais intensa oração: não tanto de “reza”, de mover os lábios, mas muito mais de silêncio, de escuta dos “sinais dos tempos”, de ouvir a voz de Deus, e sintonizar com seu projeto de libertação e de vida plena para a Humanidade.
Quaresma, um tempo de jejum: não tanto de deixar de beber e comer, embora algo disso faça bem até para a nossa saúde e psíquica... Mas, muito mais, de treinar-se, através de renúncias cotidianas (de certos gostos, manias, caprichos, ou mesmo vícios), com o objetivo de sentir-se livre para atender aos apelos de Deus e ir ao encontro de quem mais precisa, pessoas, comunidades, e até, causas maiores...
Quaresma, um tempo de esmola, no sentido bíblico desta palavra: restabelecer a justiça, a igualdade, mediante a prática generosa da solidariedade.
E essas três práticas têm tudo a ver com a CAMPANHA DA FRATERNIDADE, esse ano, por sinal, de novo, com foco nas questões ecológicas: FRATERNIDADE: BIOMAS BRASILEIROS E DEFESA DA VIDA.
Sabendo ou não, a gente vive (e morre) em cima de um chão, à beira mar, ou então no agreste ou no sertão; sobre o qual chove muito ou pouco demais, onde correm rios ou existem represas, açudes, cheios ou quase secos; onde vicejam matas densas e floridas ou outro tipo de vegetação, feito umbuzeiros, juazeiros,  mandacarus e xique-xiques; onde as comunidades cultivam certos gostos e costumes, um tipo de agricultura, certos tipos de artesanato, de comida, de brincadeira e de festa... E como é que vai tudo isso?... E quais as nossas responsabilidades?...

 

 

> 2 - Atualizando:     DOMINGO DOS LÍRIOS E DOS PASSARINHOS Mt 6,24-34 Atentos às lições que a sábia Natureza gratuitamente nos oferece, todo dia, de olho nos lírios e nos passarinhos, a todo instante, precisamos fazer nossa escolha, nossa opção fundamental: Deus ou o Dinheiro! A quem temos servido, em quem temos confiado, o que ou quem tem dado sentido a nossas vidas?... Chegando para a celebração, no Dia do Senhor, com que disponibilidade vamos escutar sua Palavra, com que generosidade vamos celebrar a Ceia, em sua memória?... Até onde tem ido a entrega de nossas vidas, em comunhão com Aquele, que nos amou e entregou sua vida por nós, pela humanidade, pela causa do Reino?... Que qualidade, que autenticidade, que verdade e que alegria terá nossa liturgia, nosso canto?...

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     PÁSCOA À VISTA! Isso é para lembrar que, passado o Carnaval, com suas brincadeiras e alegrias, com as energias recobradas, corações leves e mentes desafogadas, Quarta-feira de Cinzas, começa um tempo de preparação dessa grande experiência anual: um povo que ressuscita “por Cristo, com Cristo e em Cristo”, desencadeando a seu redor todo um dinamismo de mudança e renovação. Quaresma, um tempo de mais intensa oração: não tanto de “reza”, de mover os lábios, mas muito mais de silêncio, de escuta dos “sinais dos tempos”, de ouvir a voz de Deus, e sintonizar com seu projeto de libertação e de vida plena para a Humanidade. Quaresma, um tempo de jejum: não tanto de deixar de beber e comer, embora algo disso faça bem até para a nossa saúde e psíquica... Mas, muito mais, de treinar-se, através de renúncias cotidianas (de certos gostos, manias, caprichos, ou mesmo vícios), com o objetivo de sentir-se livre para atender aos apelos de Deus e ir ao encontro de quem mais precisa, pessoas, comunidades, e até, causas maiores... Quaresma, um tempo de esmola, no sentido bíblico desta palavra: restabelecer a justiça, a igualdade, mediante a prática generosa da solidariedade. E essas três práticas têm tudo a ver com a CAMPANHA DA FRATERNIDADE, esse ano, por sinal, de novo, com foco nas questões ecológicas: FRATERNIDADE: BIOMAS BRASILEIROS E DEFESA DA VIDA. Sabendo ou não, a gente vive (e morre) em cima de um chão, à beira mar, ou então no agreste ou no sertão; sobre o qual chove muito ou pouco demais, onde correm rios ou existem represas, açudes, cheios ou quase secos; onde vicejam matas densas e floridas ou outro tipo de vegetação, feito umbuzeiros, juazeiros, mandacarus e xique-xiques; onde as comunidades cultivam certos gostos e costumes, um tipo de agricultura, certos tipos de artesanato, de comida, de brincadeira e de festa... E como é que vai tudo isso?... E quais as nossas responsabilidades?...

> 4 - Dicas e Sugestões:    Para quem sabe aproveitar bem este tempo de brincadeira e descontração, de reencontros, arejamento e revitalização, o Carnaval “só” nos prepara para “o dia seguinte”, de retomada das tarefas do cotidiano, das lutas sociais e, até, de renovação da vida espiritual, pela participação na caminhada quaresmal.

 

Reginaldo Veloso