O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

22 de janeiro de 2017

Terceiro Domingo do Tempo Comum – Ano A

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Terceiro Domingo do Tempo Comum – Ano A

1- Aprofundando os textos bíblicos:  Mateus 4,12-23 – Isaias 8,23-9,3 – Salmo 27(26) – 1 Coríntios 1,10-13.17: Jesus retirou-se para a Galiléia, o que significa que “recuou diante de um perigo”. Ele se encontra na terra de Zabulon e Neftali, na estrada do mar, citadas por Isaias; a Galiléia, palavra que significa distrito, periferia. A intenção não é apenas localizar o lugar, mas o significado profético do ministério de Jesus desde o início. Mateus é o único que cita Isaías 8, 23 ss, modificando o texto. Era terra desprezada, considerada pagã, cenário da ação e revelação luminosa de Jesus. Trevas simbolizam a infelicidade, a opressão, cativeiro e morte; luz é salvação, é a aparição da glória de Deus, comparada ao nascer do sol. Da Galiléia das nações Jesus dirige-se ao povo ameaçado pelas trevas do cativeiro. O chamado de Jesus é categórico. O seguimento deve ser imediato e incondicional. Do serviço, ofício humano, do contato com as forças hostis do mar que não garantem o êxito da tarefa diária, ao serviço do Reino de Deus, ao seguimento e fidelidade ao Senhor, garantido pela própria fidelidade de Deus. Daí nasce a espiritualidade cristã do seguimento de uma pessoa e seu projeto, Jesus; seguir Jesus é entrar em sua escola, a favor de quem se encontra na periferia do mundo. A carta aos Coríntios também fala do seguimento, não de pessoas, mas do Crucificado/ressuscitado e sua proposta de vida.

2-Atualizando: Seguir Jesus parece uma loucura, a loucura da cruz. Seguimento que não cria divisões, mas encara com amor e compreensão tudo o que é humano e que promove a dignidade de filhos e filhas de Deus: pertença a Cristo que pertence a Deus. Também nós somos chamados a anunciar o Evangelho para além de competição e disputas sobre quem é maior.

3- A palavra de Deus na celebração: Acolhemos a Palavra da salvação que, com o louvor eucarístico é a grande Luz que nos arranca das trevas e do poder da morte. Somos convidados a nos consagrar com mais fidelidade ao anúncio do Reino, abandonando redes e amarras que nos impeçam o seguimento generoso de Jesus.

4- Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor, TC, Ano A, p. 69-80.

M. Carmo de Oliveira e Lourdes Zavarez

 

> 2 - Atualizando:     Mateus 4,12-23 – Isaias 8,23-9,3 – Salmo 27(26) – 1 Coríntios 1,10-13.17: Jesus retirou-se para a Galiléia, o que significa que “recuou diante de um perigo”. Ele se encontra na terra de Zabulon e Neftali, na estrada do mar, citadas por Isaias; a Galiléia, palavra que significa distrito, periferia. A intenção não é apenas localizar o lugar, mas o significado profético do ministério de Jesus desde o início. Mateus é o único que cita Isaías 8, 23 ss, modificando o texto. Era terra desprezada, considerada pagã, cenário da ação e revelação luminosa de Jesus. Trevas simbolizam a infelicidade, a opressão, cativeiro e morte; luz é salvação, é a aparição da glória de Deus, comparada ao nascer do sol. Da Galiléia das nações Jesus dirige-se ao povo ameaçado pelas trevas do cativeiro. O chamado de Jesus é categórico. O seguimento deve ser imediato e incondicional. Do serviço, ofício humano, do contato com as forças hostis do mar que não garantem o êxito da tarefa diária, ao serviço do Reino de Deus, ao seguimento e fidelidade ao Senhor, garantido pela própria fidelidade de Deus. Daí nasce a espiritualidade cristã do seguimento de uma pessoa e seu projeto, Jesus; seguir Jesus é entrar em sua escola, a favor de quem se encontra na periferia do mundo. A carta aos Coríntios também fala do seguimento, não de pessoas, mas do Crucificado/ressuscitado e sua proposta de vida.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Seguir Jesus parece uma loucura, a loucura da cruz. Seguimento que não cria divisões, mas encara com amor e compreensão tudo o que é humano e que promove a dignidade de filhos e filhas de Deus: pertença a Cristo que pertence a Deus. Também nós somos chamados a anunciar o Evangelho para além de competição e disputas sobre quem é maior. Acolhemos a Palavra da salvação que, com o louvor eucarístico é a grande Luz que nos arranca das trevas e do poder da morte. Somos convidados a nos consagrar com mais fidelidade ao anúncio do Reino, abandonando redes e amarras que nos impeçam o seguimento generoso de Jesus.

> 4 - Dicas e Sugestões:    Vejam no Dia do Senhor, TC, Ano A, p. 69-80.

 

M. Carmo de Oliveira e Lourdes Zavarez