O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

8 de janeiro de 2017

Epifania do Senhor Jesus – Ano A

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Epifania do Senhor Jesus – Ano A

1- Aprofundando os textos bíblicos:

Mateus 2, 1-12 – Isaías 60,1-6 – Salmo 72(71) – Efésios 3,2-6:
Hoje as leituras acentuam que Deus quer a unidade de todos os povos, unidos como filhos de Deus, irmãos entre si, pela fé em Jesus Cristo.
A 1ª leitura é um poema, um canto sobre Jerusalém abandonada e na escuridão. O profeta entrevê o futuro de reconstrução. Será iluminada, reencontrará seus filhos e uma multidão de estrangeiros, que encherão de bens preciosos e de oferendas o seu templo. Madiã, Efa, Sabá se referem a povos árabes, estrangeiros do leste do Golfo de Ácaba, da Arábia Saudita.
Em Efésios 3, somos chamados a ser filhos herdeiros de Deus, participando do Corpo de seu filho Jesus. Fala do ‘mistério’ que é o desígnio eterno de Deus realizado em Jesus e dirigido a todas as pessoas.
O Evangelho mostra o sentido universal do nascimento de Jesus. Ele é o Rei-Messias, salvador anunciado pelos profetas do Primeiro Testamento. Rejeitado por Herodes e seu povo, é aceito pelos pagãos representados pelos Magos, que provavelmente são sábios, astrólogos da região do atual Iraque, antiga Babilônia. Este texto opõe Herodes a Jesus Menino. Para Herodes, Jesus é um rival perigoso a ser eliminado por ser o anunciado descendente do Rei Davi. A astúcia de Herodes é vencida pela luz da estrela e fidelidade dos três estrangeiros. Os magos trazem tributos dos pagãos, conforme a 1a. leitura.

2-Atualizando: Epifania é manifestação de Cristo ao mundo, como luz que ilumina e acalenta os que a recebem e desmascara os hipócritas. A missão da Igreja é manifestar Jesus ao mundo através de sua mensagem e de sua maneira de ser.

3-A palavra de Deus na celebração: Como povo celebrante somos epifania da Igreja – cidade-luz: mistério de comunhão, peregrina e convocada à fraternidade universal, ao diálogo ecumênico e ao anúncio da boa-nova da salvação. Damos graças ao Pai porque em Jesus, ele se manifesta luz para todos os povos, “magos” de todos os tempos que buscam a verdade, a justiça, a fraternidade e a paz.

4-Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor, Ciclo do Natal, ABC p. 178-186.

Maria do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez

 

 

> 2 - Atualizando:     Textos bíblicos: Mateus 2, 1-12 – Isaías 60,1-6 – Salmo 72(71) – Efésios 3,2-6: Hoje as leituras acentuam que Deus quer a unidade de todos os povos, unidos como filhos de Deus, irmãos entre si, pela fé em Jesus Cristo. A 1ª leitura é um poema, um canto sobre Jerusalém abandonada e na escuridão. O profeta entrevê o futuro de reconstrução. Será iluminada, reencontrará seus filhos e uma multidão de estrangeiros, que encherão de bens preciosos e de oferendas o seu templo. Madiã, Efa, Sabá se referem a povos árabes, estrangeiros do leste do Golfo de Ácaba, da Arábia Saudita. Em Efésios 3, somos chamados a ser filhos herdeiros de Deus, participando do Corpo de seu filho Jesus. Fala do ‘mistério’ que é o desígnio eterno de Deus realizado em Jesus e dirigido a todas as pessoas. O Evangelho mostra o sentido universal do nascimento de Jesus. Ele é o Rei-Messias, salvador anunciado pelos profetas do Primeiro Testamento. Rejeitado por Herodes e seu povo, é aceito pelos pagãos representados pelos Magos, que provavelmente são sábios, astrólogos da região do atual Iraque, antiga Babilônia. Este texto opõe Herodes a Jesus Menino. Para Herodes, Jesus é um rival perigoso a ser eliminado por ser o anunciado descendente do Rei Davi. A astúcia de Herodes é vencida pela luz da estrela e fidelidade dos três estrangeiros. Os magos trazem tributos dos pagãos, conforme a 1a. leitura.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Epifania é manifestação de Cristo ao mundo, como luz que ilumina e acalenta os que a recebem e desmascara os hipócritas. A missão da Igreja é manifestar Jesus ao mundo através de sua mensagem e de sua maneira de ser. Como povo celebrante somos epifania da Igreja – cidade-luz: mistério de comunhão, peregrina e convocada à fraternidade universal, ao diálogo ecumênico e ao anúncio da boa-nova da salvação. Damos graças ao Pai porque em Jesus, ele se manifesta luz para todos os povos, “magos” de todos os tempos que buscam a verdade, a justiça, a fraternidade e a paz.

> 4 - Dicas e Sugestões:    Vejam no Dia do Senhor, Ciclo do Natal, ABC p. 178-186.

 

Maria do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez