O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

16 de julho de 2021

DÉCIMO SEXTO DOMINGO DO TEMPO COMUM - Ano B

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

16º DOMINGO DO TEMPO DO DISCIPULADO E DA MISSÃO - B:

                Domingo do Pastor das ovelhas abandonadas

 

Marcos 6,30-34

 

Os discípulos estão voltando da sua primeira experiência missionária. Têm muito que contar e, com certeza, perguntas a fazer, dúvidas por esclarecer e, sobretudo, necessidade de descansar, na intimidade do Mestre.

Jesus mesmo sugere este gostoso retiro. Mas as multidões, tocadas por uma palavra diferente e cada vez mais sedentas dessa novidade boa que vinha sendo anunciada, correm atrás de Jesus e sua turma, chegando, primeiro que eles, do outro lado do lago.

E agora?... Quem não precisa de um pouco de repouso?... Quem não merece umas férias?... O problema não é esse.

Quando o que nos move e urge é o amor de Cristo, só vale um critério: alguém está precisando da gente, aqui e agora?... Tantas ovelhas abandonadas, tanta gente sem rumo, tanta solidão à espera de alguém, tanta fome e sede de justiça...

Aí está o desafio! Quem lhes vai ao encontro e quando?... Amanhã ou depois?... Hoje, mais tarde?... Aqui e agora?... Só o amor do Pastor que se enche de compaixão diante da multidão dos que não têm ninguém por eles é que vai determinar o que precisa ser feito, quando e como... Se dá para descansar ou não.

E neste encontro com ele, hoje, que o nosso canto nos faça sentir, ao mesmo tempo, a fome das ovelhas e as urgências do Pastor.

 

No presente momento do mundo e da Igreja, quem melhor encarna a figura do Bom Pastor que o Papa Francisco?... Nos três surpreendentes encontros com os representantes Movimentos Populares: aí estão as ovelhas às voltas com um sistema capitalista cruel e surdo a seus clamores... Aí está o pastor compadecido das ovelhas famintas e sedentas de justiça... E o pastor nos convoca todos e todas a nos colocarmos junto às ovelhas, a quantos hoje sonham com um mundo diferente e por isso lutam. Somos todos pastores e pastoras, aqui e agora! 

 

(3) Aclamação ao Evangelho: ALELUIA +

      Jo 1,14.12           (HIN III B, p. 156)

 

aleluia! aleluia! aleluia!

aleluia! aleluia! aleluia!

 

Minhas ovelhas escutam minha voz,

A minha voz estão elas a escutar!

Eu as conheço, e serão minhas ovelhas

Que me seguem, comigo a caminhar!

 

 (4) Ofertório: BOM É LOUVAR                  

                  (HIN III b, p. 157)

bom é louvar o senhor, nosso deus,

cantar salmos ao nome do altíssimo,

com alegria aclamar seu amor,

sua glória, bondade e poder!

 

1.Como tuas obras me alegram, Senhor,

Os teus prodígios suscitam louvor;

Tua presença eu contemplo no céu,

Olho a terá: também nela estás!

 

2.Narram os céus o que fez tua mão,

Todo o universo teu nome bendiz;

A Criação é um canto de amor,

E esse canto é também meu louvor!

 

3.Tua bondade cercou-me de bens,

Tudo que tenho é por graça e favor;

Quero teus dons com os irmãos partilhar,

Vendo em ti nosso Deus, nosso Pai!

 

4.Chave suprema de um plano de Pai,

Neste universo que evolui na dor:

Deste-nos Cristo, Homem-Deus, nosso irmão,

E é por Ele que vamos a ti!

 

(5) Comunhão: COMO OVELHAS...    

                   (HIN III B, p. 158)

 

como ovelhas que vão sem pastor,

nós queremos por ti ser guiados.

/:vem nos dar o teu corpo e teu sangue,

pois, nós somos por ti muito amados:/

 

1.Um canto novo ao Senhor,

Ó terras todas, cantai!

Louvai seu nome bendito,

Diariamente aclamai:

Sua glória, seus grandes feitos,

Aos povos todos contai!

 

2.Ele é o maior dos senhores,

Merece o nosso louvo5r;

E mais do que aos deuses todos

Nós lhe devemos temor...

Os outros deuses são nada,

Ele é do céu criador!

 

3.Sai dele um grande clarão,

Ele anda com majestade;

Seu trono é maravilhoso,

Reflexo da divindade,

(1) Abertura: ASSIM QUE A TUA GLÓRIA

Sl 33 + Sl 17,15          (HIN III B ,p. 1154)

 

assim que a tua glória

revelar-se, senhor, perante a história,

tua face contemplarei

e satisfeito, pra sempre, eu ficarei!

 

1.Alegrai-vos nos Senhor!

Quem é bom venha louvar!

Peguem logo o violão

E o pandeiro pra tocar...

Para ele um canto novo

Vamos, gente, improvisar!

 

2.Ele cumpre o que promete;

Podem nele confiar!

Ele ama o que é direito

E ele sabe bem julgar...

Sua Palavra fez o céu,

Fez a terra e fez o mar!

 

3.Ele fez do mar um açude

E governa os oceanos!

Toda a terra a ele teme,

Mesmo os corações humanos...

Tudo aquele que ele diz

Não nos causa desenganos!

 

4.Põe abaixo os planos todos

Desses povos poderosos,

E derruba os pensamentos

Dos malvados orgulhosos...

Mas os planos que ele faz

Vão sair vitoriosos!

 

(2) Salmo de resposta: O SENHOR É O PASTOR – Sl 23      (HIN III B, p. 155)

 

o senhor é o pastor que me conduz

felicidade e todo bem hão de seguir-me!

 

O Senhor é o pastor que me conduz,

não me falta coisa alguma.

- Pelos prados e campinas verdejantes

  ele me leva a descansar!

 

Ele me guia no caminho mais seguro,

pela honra do seu nome.

- Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso

  nenhum mal eu temerei!

 

Preparais à minha frente uma mesa,

bem à vista do inimigo.

- E com óleo vos ungis minha cabeça

  e meu cálice transborda!

 

Felicidade e todo bem hão de seguir-me

por toda a minha vida;

- e, na casa do Senhor, habitarei

  pelos tempos infinitos!

*

Pois seu poder é imenso

E dura pra eternidade!

 

4.Rendei a Deus homenagem,

Rendei-lhe glória e poder!

Rendei louvor a seu nome

E vinde ao templo trazer

Presentes para ofertar-lhe,

Sentindo a terra tremer!

 

5.Sabei que o Senhor é rei

E traz justiça a esta terra!

Alegre-se o mar, os peixes

E tudo que o mundo encerra,

Os campos, plantas, montanhas

E as árvores da flore4sta!

 

6.Ele é o Senhor do universo

E faz justiça a seu povo!

Aos povos há de julgar,

Reinando no mundo todo!

Por isso, a ele cantai,

Ó terras, um canto novo!

 

7.A nosso Pai demos glória

E glória ao Filho, também,

Louvor e glória, igualmente,

Ao Deus-Amor que hoje vem!

Que nosso louvor se estenda,

Agora e pra sempre. Amém!

____________________________________

 

VALE A PENA RELEMBRAR:

Do Discurso do Cardeal Turkson, por ocasião do 2º Encontro Internacional dos Movimentos Sociais Populares com Papa Francisco, na Bolívia:

 

1. O mundo precisa avançar num processo de mudança em defesa da Terra e da dignidade das pessoas. Esta tarefa não é exclusiva dos líderes religiosos, dos cientistas, dos políticos ou dos empresários, mas de toda a humanidade.

O grito, a queixa, o protesto e a pressão dos pobres são de vital importância para que os poderosos do mundo compreendam que assim não dá para continuar. A Igreja quer escutar este grito e juntar-se a ele.

2. Os pobres têm-se organizado para resistir à exclusão social, à escandalosa desigualdade e à degradação de seu ambiente. Assim, têm criado Movimentos não só para protestar contra a injustiça, mas também para resolver, com suas próprias mãos, os problemas de acesso à Moradia, à Terra e ao Trabalho, que nem os Estados nem o Mercado resolvem. A pesar da precariedade, são semeadores de terra, construtores de moradias e criadores de trabalho.

 

 

> 2 - Atualizando:     No presente momento do mundo e da Igreja, quem melhor encarna a figura do Bom Pastor que o Papa Francisco?... Nos três surpreendentes encontros com os representantes Movimentos Populares: aí estão as ovelhas às voltas com um sistema capitalista cruel e surdo a seus clamores... Aí está o pastor compadecido das ovelhas famintas e sedentas de justiça...

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Evangelho de Marcos 6, 30-34; Jr23,1-6; Salmo 23; Ef 2,13-18

> 4 - Dicas e Sugestões:    VALE A PENA RELEMBRAR: Do Discurso do Cardeal Turkson, por ocasião do 2º Encontro Internacional dos Movimentos Sociais Populares com Papa Francisco, na Bolívia: 1. O mundo precisa avançar num processo de mudança em defesa da Terra e da dignidade das pessoas. Esta tarefa não é exclusiva dos líderes religiosos, dos cientistas, dos políticos ou dos empresários, mas de toda a humanidade. O grito, a queixa, o protesto e a pressão dos pobres são de vital importância para que os poderosos do mundo compreendam que assim não dá para continuar. A Igreja quer escutar este grito e juntar-se a ele. 2. Os pobres têm-se organizado para resistir à exclusão social, à escandalosa desigualdade e à degradação de seu ambiente. Assim, têm criado Movimentos não só para protestar contra a injustiça, mas também para resolver, com suas próprias mãos, os problemas de acesso à Moradia, à Terra e ao Trabalho, que nem os Estados nem o Mercado resolvem. A pesar da precariedade, são semeadores de terra, construtores de moradias e criadores de trabalho.

 

Pe. Reginaldo Veloso