O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

7 de agosto de 2020

DÉCIMO NONO DOMINGO T.C. - ANO A

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

DÉCIMO NONO Domingo do Tempo Comum – ano a

1-Aprofundando os textos bíblicos: Mateus 14,22-33; 1 Reis 19, 9a.11-13a.; Salmo 85(84); Romanos 9, 1-5:

Para que os discípulos não se detivessem no entusiasmo do evento da multiplicação dos pães, Jesus os “obrigou” a passar para a outra margem do lago.  Chama a atenção o fato de Jesus se retirar para orar na montanha, solitariamente, ponto de partida de sua manifestação; enquanto isso, o barco com os discípulos era sacudido pelas ondas, com um vento contrário à sua trajetória. No último quarto da noite, próximo ao amanhecer, Jesus caminha sobre as ondas do mar, ao encontro dos discípulos. Os discípulos ficam apavorados e pensam que Jesus é um fantasma. Podemos comparar este relato com a transfiguração e as aparições de Jesus Ressuscitado. Jesus se identifica com a expressão “SOU EU”, que desperta ressonâncias do nome divino (Ex 3,14). O texto tem duas aclamações litúrgicas: “Senhor, salva-me!” e “Verdadeiramente, tu és o Filho de Deus!”, acompanhado do gesto de prostrar-se. Pedro é o protótipo do discípulo que duvida e espera viver o extraordinário; mesmo depois de Jesus falar-lhe, ele ainda diz “se és tu mesmo” e pede uma comprovação, querendo caminhar sobre as águas como Jesus. Isto serve para confirmar que é “homem de pouca fé e que duvida” da Palavra. A nós não cabe caminhar sobre as águas, mas nos agarrarmos à mão de Jesus; é Ele que nos “pega”. A presença do Cristo ressuscitado, sua palavra e o contato com sua mão, infundem paz, confiança e coragem. Entre Jesus e os discípulos há o contraste: montanha/mar, oração/agitação.

Para Elias o vento, o terremoto, o fogo são cheios do significado histórico da presença de Deus. O silêncio e sopro tênue colocaram-no em relação com uma nova experiência, diferente dos ritos barulhentos de quem servia a Baal.

2- Atualizando: A Palavra de hoje nos questiona profundamente sobre nossa relação com Deus. Onde podemos encontrar Deus? É Ele quem sai ao nosso encontro. Mesmo em nossos momentos de “pouca fé” Ele está presente, nos estende a mão, acaricia suavemente nossa vida. É preciso estarmos atentos e abertos às visitas de Deus.

3- A palavra de Deus na celebração: Em meio à ondas tempestuosas, o barco de nossa vida parece naufragar e o medo nos domina. É especialmente na comunidade reunida que o Ressuscitado manifesta-se através de vários sinais, acalma-nos e renova a certeza de que seu amor, sempre atento e atuante, nos salva. Pela participação na eucaristia, abandonamos nossa auto-suficiência, nossos medos, nosso ufanismo barulhento e, como discípulos, entregamos o comando de nossa vida com Cristo ao Pai.  

4-Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor,TC Ano A, p. 179-184.

            1) Neste domingo ressaltar a presença dos pais e a participação deles nos vários momentos e serviços de nossa vida, apresentando ao Senhor, sua vida e sua missão.

            2) Após a proclamação do evangelho, repetir as frases: “Coragem! O Senhor está conosco! Não tenham medo!”  Em seguida cada pessoa poderá repeti-las para as pessoas mais próximas, com um gesto fraterno.

             3) Quem preside ajude quem participa a identificar “o vento, as ondas, as tempestades” que ameaçam hoje o barquinho de nossas famílias e nosso mundo e qual a

 boa notícia que o evangelho de hoje traz para nossa realidade de hoje.

            4) Na resposta às preces dos fiéis pode-se retomar a súplica de Pedro: “Senhor, salva-nos!”

            5) No final da celebração, oferecer uma bonita homenagem para os pais presentes.

            6) Sendo a Semana da Família, dar uma bênção especial para as famílias: Segue aqui, uma sugestão:

               D. O Senhor esteja convosco!

               T. Ele está no meio de nós!

               D. Deus, Pai e Mãe da família humana, guarde e faça prosperar o lar de todos nós.

               T. Amém!

               D. O Senhor Jesus, que viveu na família de Nazaré, faça de nossas casas e moradias um lugar de aconchego, respeito, diálogo e harmonia cristã.

               T. Amém!

               D. O Espírito Santo, que ilumina, anima e unifica, transforme nossas igrejas e comunidades, em verdadeiras famílias, abertas, acolhedoras e dedicadas aos mais necessitados.

               T. Amém!

               D. Que a bênção de Deus-Amor, Pai, Filho e Espírito Santo, derrame-se sobre nós e permaneça para sempre.  T. Amém!

                                                                       M. Lourdes Zavarez e M. Carmo de Oliveira

 

 

 

> 2 - Atualizando:     A Palavra de hoje nos questiona profundamente sobre nossa relação com Deus. Onde podemos encontrar Deus? É Ele quem sai ao nosso encontro. Mesmo em nossos momentos de “pouca fé” Ele está presente, nos estende a mão, acaricia suavemente nossa vida. É preciso estarmos atentos e abertos às visitas de Deus.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Mateus 14,22-33; 1 Reis 19, 9a.11-13a.; Salmo 85(84); Romanos 9, 1-5:

> 4 - Dicas e Sugestões:    bênção especial para as famílias: D. O Senhor esteja convosco! T. Ele está no meio de nós! D. Deus, Pai e Mãe da família humana, guarde e faça prosperar o lar de todos nós. T. Amém! D. O Senhor Jesus, que viveu na família de Nazaré, faça de nossas casas e moradias um lugar de aconchego, respeito, diálogo e harmonia cristã. T. Amém! D. O Espírito Santo, que ilumina, anima e unifica, transforme nossas igrejas e comunidades, em verdadeiras famílias, abertas, acolhedoras e dedicadas aos mais necessitados. T. Amém! D. Que a bênção de Deus-Amor, Pai, Filho e Espírito Santo, derrame-se sobre nós e permaneça para sempre. T. Amém!

 

M. do Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez