O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

6 de julho de 2019

Décimo quarto domingo do TC. Ano C

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Décimo quarto domingo do Tempo Comum –  ANO C

 

1-Aprofundando os textos bíblicos: Isaías 66, 10-14c; Sl 65 (66); Gl 6,14-18; Lucas 10, 1-12.17-20 –

O evangelho de hoje faz parte da caminhada de Jesus rumo a Jerusalém, centro do poder religioso e político, lugar do conflito. Como houve uma missão dos doze na Galiléia (9,1-6), temos agora a missão dos 72 na Judéia. O conteúdo da missão é o mesmo para os dois grupos: envia-os à sua frente, preparar o caminho para a sua chegada. Este será sempre o sentido de toda missão apostólica da comunidade cristã. As exigências são: renúncia a seguranças e comodidades, sem bolsa nem sacola, nem sandálias... Nada pode se interpor e a que mensagem seja apresentada ao vivo. Devem ser testemunhas da paz messiânica (o shalom) que é “abundância de bens para meu povo”.

Jesus sabe que em Jerusalém os grandes de seu povo e do império romano, o rejeitarão e o matarão, mas nem assim deixa de cumprir a missão que seu Pai lhe entrega.  Jerusalém é, simbolicamente, a imagem do povo, imagem da jovem formosa e da mãe fecunda e acolhedora, como ouvimos em Isaías 66. Primitivamente o nome da cidade era Shalém / Yerou-Shalaïm, que significa “PAZ / Deus proverá a paz”. O povo deve ir a Jerusalém, para as três festas (Páscoa, Pentecostes e Tabernáculos). A viagem torna-se o símbolo da vida nesta terra, como longa caminhada para Deus. O ser humano é um ser de passagem, chamado para a morada de Deus. A primeira leitura nos revela quem é o Pai de Jesus e nosso Pai: “como a um menino que a mãe consola, assim eu o consolarei.” A cidade de Jerusalém tem a vocação de acolher seus filhos, amamenta-los, carrega-los ao colo... mas a Jesus, Filho e Servo amado de Deus, os chefes de Jerusalém oferecem a cruz.

Jesus de Nazaré não se desvia de sua missão e propõe isso aos seus seguidores: anunciar a boa notícia do Reinado de Deus, curar doentes, andar dois-a-dois como testemunhas, conforme o ensinamento de Dt 19,15 – “Não é válido o testemunho de uma única pessoa...Somente mediante o depoimento de duas ou três testemunhas... Devem confiar na generosidade da partilha que a mensagem de Jesus irá provocar em quem a receber. E será grande a alegria de quem anuncia a paz do Reino de Deus.

2-Atualizando: Hoje, nós cristãos, levamos a mensagem da paz e mansidão por onde passamos? Somos fiéis às exigências do seguimento de Jesus Cristo? Renunciamos conscientemente às seguranças e comodidades do sistema atual, para que a palavra viva de Nosso Senhor seja anunciada em toda a sua verdade? Sabemos trabalhar dois-a-dois, em equipe, conforme o mandato do Senhor?

3-A palavra de Deus na celebração: Hoje celebramos o Ressuscitado que nos envia como suas testemunhas. Recebemos a graça de trabalharmos e vivermos pelo Reinado de Deus nos campos e cidades, firmes no caminho da paz. Deus, como mãe de ternura nos acompanhe, para que possamos consolar a todos que encontrarmos durante esta semana.

4-Dicas e sugestões: Vejam no Dia do Senhor , TC Ano C p.121-126.

 

> 2 - Atualizando:     Nada pode se interpor a fim de que mensagem seja apresentada ao vivo. Devem ser testemunhas da paz messiânica (o shalom) que é “abundância de bens para meu povo”.

> 3 - A palavra de Deus na celebração:     Isaías 66, 10-14c; Sl 65 (66); Gl 6,14-18; Lucas 10, 1-12.17-2

> 4 - Dicas e Sugestões:   

 

M.Carmo de Oliveira e M. Lourdes Zavarez