REDE CELEBRA 
O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

A PALAVRA DE DEUS NO DIA DO SENHOR

5 de agosto de 2018

Décimo oitavo domingo do Tempo Comum - Ano B

Imprimir Voltar

1 -Aprofundando os textos bíblicos:     

Décimo oitavo DOMINGO DO TEMPO COMUM – Ano B

1-Aprofundando os textos bíblicos: João 6,24-35 – Êxodo 16,2-4.12-15 – Salmo 78(77) – Efésios 4,17.20-24:

O profetismo nos ensina a ler nos fatos do cotidiano o sinal da ação generosa de Deus. O maná é a resina da tamareira, produto natural, mas que no contexto do Êxodo, se torna um sinal da incansável providência de Deus. Jesus segue essa tradição e a partir da realidade do dia-a-dia, realiza sinais para revelar-se a si mesmo, como dom de Deus a humanidade. Jesus quer abrir os olhos da multidão que só viu fartura material no milagre dos pães, em vez de perceber o “sinal” da solidariedade que se descobre pela fé, como no maná do deserto. Jesus é aquele que alimenta e faz viver. Para João, “vida eterna” é antes de tudo a existência reconciliada com Deus; neste sentido fé e vida são uma só coisa. A fé abre a visão. O espetáculo, sensacionalismo que superem os sinais de Deus da Primeira Aliança, não abrem os olhos para a “nova” proposta de Jesus. O pão e a comunhão em torno da mesa eram símbolos centrais da primeira comunidade cristã. Nas reuniões de ceia fraterna, chamadas ágape, era o Senhor mesmo que estava presente no meio deles – presença real!

2-Atualizando: Jesus é sempre novidade que nos impele a despojar-nos do “homem velho”. Ele não nos ensina apenas alguma coisa, Ele mesmo é a palavra e se revela por sua maneira de ser. As suas obras nos fazem conhecer que Deus é vida. Na medida em que temos comunhão com Ele, revestindo-nos de seu modo de ser, de seu espírito, vivemos realmente. A vida doada sem restrições, como Jesus fez, é a vida verdadeira, a que não acaba.

3-A palavra de Deus na celebração: No deserto da vida sentimos fome e sede do verdadeiro sentido para nossa existência. Na celebração fazemos memória da entrega total de Jesus,  renovando nossa fé nele e repartindo em ação de graças o pão entre nós. Acolhemos o amor compassivo de Deus que nos sacia com o verdadeiro Pão do Céu e nos consagra para que sejamos também pão doado para vida do mundo.

4-Dicas para a celebração: No Dia do Senhor, Ano B p. 101-104 encontram-se dicas para a celebração e o roteiro básico nas p. 25-34 com a proposta de ação de graças com partilha de pão ou outro alimento que neste domingo não poderia faltar.

MÁRTIRES DA AMÉRICA LATINA:

- Carlos Perez Alonso, padre jesuíta, em 02/08/1981, martirizado na Guatemala.

- Enrique Angel Angelelli, Bispo de La Rioja, Argentina, martirizado em 04/08/1976.

- Alírio Napoleon Macias, presbítero diocesano salvadorenho, martirizado 04/08/1979

-

M. do Carmo de Oliveira e Maria de Lourdes Zavarez

 

> 2 - Atualizando:    

> 3 - A palavra de Deus na celebração:    

> 4 - Dicas e Sugestões: