O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

DESTAQUES SEMANAIS

Terceiro Domingo da Páscoa

15/04/2018

Lucas 24,35-48

Um misto de surpresa, de espanto e alegria é o que faz a fé dos discípulos e discípulas de Jesus de Nazaré passar por um momento de perplexidade, de dúvida, de não saber como reagir diante de algo que desponta forte no íntimo de suas consciências: a imperiosa constatação de que Aquele que deu sua vida por eles, por elas, por todos e todas, não pode não estar vivo, ressuscitou! Seu amor é vitorioso! Deus lhe dera razão! Ele venceu! Ele mesmo está entre nós!

Na última Ceia, na véspera de sua morte, JESUS, repartindo o pão e o cálice com eles, fala que vai dar a vida por eles e pela humanidade e lhes sugere que, pela vida afora, façam isto “em sua memória”...

Repetindo a sua Ceia, temos hoje a oportunidade de fazer experiência semelhante: sentir o Ressuscitado no meio da gente... compartilhar com ele nossas alegrias e tristezas, nossas angústias e esperanças, os desafios todos do nosso cotidiano, marcado por medos, egoísmos, injustiças, preconceitos, opressões e exclusões (VER)... escutar sua Palavra, através da proclamação das Escrituras, e, à sua luz, fazermos a leitura pascal da vida, reencontrando o sentido maior de nossa existência e reaquecendo os corações com a esperança que não ilude (JULGAR)... comer, mais uma vez, a sua Ceia, comungando como Aquele que entregou sua vida, para que tenhamos vida em plenitude, comprometendo-nos a continuar esta história de amor, aqui e agora, para que a sociedade em que vivemos tome os rumos da solidariedade, da justiça e da paz (AGIR)... E esse compromisso tem sabor de “missão”: irmos ao encontro das pessoas e entidades com a tarefa de ajudar mudar os corações e reconciliar a humanidade. ALELUIA!

 

À luz da experiência d’Aquele que morreu e ressuscitou, dá para fazer uma leitura dos fatos clamorosos que estão ocorrendo em nosso país?... Dá para perceber a mesma dinâmica de morte-e-ressurreição se materializando em torno de um filho do povo, preso porque retoma o Projeto Divino de libertação dos oprimidos e excluídos, para que “tenham vida e a tenham em plenitude”?... É uma pena que muita gente do povo, hoje como ontem, iludida pela mídia do opressores, repita o grito desvairado, que pede a liberdade para “Barrabás” e a crucificação do inocente... Mas ninguém perde por esperar o alvorecer da madrugada.

 

 

Papa Francisco, domingo passado, 08/04, lançou sua 3ª. Exortação Apostólica, convidando todos e todas nós a sermos santos e santas:

 

<<14. Para ser santo, não é necessário ser bispo, sacerdote, religiosa ou religioso. Muitas vezes somos tentados a pensar que a santidade esteja reservada apenas àqueles que têm possibilidade de se afastar das ocupações comuns, para dedicar muito tempo à oração. Não é assim. Todos somos chamados a ser santos, vivendo com amor e oferecendo o próprio testemunho nas ocupações de cada dia, onde cada um se encontra. És uma consagrada ou um consagrado? Sê santo, vivendo com alegria a tua doação. Estás casado? Sê santo, amando e cuidando do teu marido ou da tua esposa, como Cristo fez com a Igreja. És um trabalhador? Sê santo, cumprindo com honestidade e competência o teu trabalho ao serviço dos irmãos. És progenitor, avó ou avô? Sê santo, ensinando com paciência as crianças a seguirem Jesus. Estás investido em autoridade? Sê santo, lutando pelo bem comum e renunciando aos teus interesses pessoais. >>

DOWNLOAD DO ARQUIVO →