O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

DESTAQUES SEMANAIS

Quarto Domingo da Quaresma – B: NO ESCURO DA NOITE DO MUNDO, A ALEGRIA DE IR ENCONTRANDO A LUZ!

11/03/2018

Quarto Domingo da Quaresma – B:

NO ESCURO DA NOITE DO MUNDO, A ALEGRIA DE IR ENCONTRANDO A LUZ

 

João 3,14-21

Jesus está conversando com um fariseu de boa vontade, Nicodemos, que vem procurá-lo na escuridão da noite, para não dar na vista... Tudo indica que Nicodemos, inquieto e vacilante, sente dificuldade em dar o passo e fazer-se, de vez, seguidor de Jesus...

 

Na escuridão da noite de Nicodemos e da noite do mundo, Jesus aponta misteriosamente para alguma coisa de muito importante, que poderá ser uma luz, para ele e para o mundo: o Filho do Homem elevado como sinal de salvação, igual ao que acontecera na caminhada dos israelitas pelo deserto, no tempo de Moisés, quando Deus, num momento de epidemia e morte, mandou que Moisés levantasse, aos olhos de todos, o sinal da serpente: quem olhasse para este sinal se salvaria da morte... Do mesmo modo, quem olhar para Jesus pregado na Cruz e entender o verdadeiro sentido do que estava acontecendo, vai encontrar o caminho da salvação: DAR A VIDA POR AMOR! DAR A VIDA PELA VERDADE! DAR A VIDA PELA VIDA!

Aí está a luz para as trevas do mundo! Quem vai topar esta aventura?...

 

Afinal de contas, nossa vocação e missão é, não somente nos abrirmos para a luz que resplandece da Cruz, mas, a partir da nossa comunhão de vida com Jesus, nós mesmos, nós mesmas, nos tornarmos luz para o mundo. Faz sentido recordar aqui o que Jesus disse no Sermão da Montanha: Vós sois a luz do mundo. (...) Não se acende uma lâmpada para colocá-la debaixo de uma caixa, mas sim no candelabro, onde brilha para todos os que estão na casa. Assim também brilhe a vossa luz diante das pessoas, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está no céu (Mt 5,14-16).

Não seria este, precisamente, o sentido mais profundo da Campanha da FRATERNIDADE deste ano?...

Vem, ó Senhor Jesus!

Pastor das águas vivas,

Que a tua Páscoa cantemos!

 

(3) Salmo de resposta: SALMO 137

                 (ODC Part. p. 184)

lá na beira dos rios da Babilônia

nos sentamos a chorar

as saudades de Sião,

seu amor a recordar.

 

1.Nos salgueiros plantados ali por perto

Penduramos os violões;

O opressor de tão esperto

Exigia ouvir canções:

      - Como iremos em terra estranha

        Cantar do Amor sua canção?...

 

2.Jerusalém, se eu de ti me esquecer,

Que me renegue a minha mão,

Minha língua fique presa ao céu da boca,

Se minha memória de ti não se lembrar não;

Se eu não fizer Jerusalém

Minha maior exultação!

 

3.Eterno Amor, recorda como nos pisaram,

No dia em que puderam nos levar...

“Arrasa tudo, arrasa tudo!”, eles diziam,

“Arrasa tudo!” estavam eles a gritar...

ó Babilônia, ó Babilônia,

feliz quem der-te em troco a maldade a praticar!...

 

(4) Aclamação: Honra e glória + Jo 3,16

honra, glória, poder e louvor    (Hin II p. 111)                      a Jesus, nosso Deus e Senhor!

Deus tanto ama o mundo, seu Filho nos dá      Para quem nele crer vida plena alcançar!

(5) Ofertório: Salmo 126     (Hin II p. 72)

 

lará – lará – lari!

lará – lará – lari!

lará – lará – lari!

 

1. Quando o Amor mudou

    A sorte do seu povo,

    Parecia um sonho,

    Sonho maravilhoso!

 

2. Encheu-se a nossa boca

    De tanta alegria,

    O pessoal dizia:

    “Mas que maravilha!”

 

  3.O Amor Eterno fez

     Conosco maravilhas,

(1) Abertura: SALMO 122 + Is 66,10-11 {Hin II p.71)

(a antífona a seguir é cantada apenas no início e no final do salmo, com a mesma melodia da estrofe, sem acompanhamento com ritmo livre)

 

Alegrai-vos com Jerusalém,

festejai todos vós que a amais,

que por ela somente chorastes,

agora alegrai-vos

e nos seus seios saciai-vos,

seios de mãe

tão generosos, alegres deliciai-vos!

* * * * *

fiquei foi contente

quando me disseram:

a gente vai pra casa do Amor!

-- Mas eu fiquei...

fiquei foi contente

quando me disseram:

a gente vai pra casa do Amor!

 

1. Nossos pés a tuas portas estão,

    Ó Cidade bem consolidada!

    Para lá vão subindo as tribos,

    Tribos do Eterno Amor,

    Segundo a lei, tradição,

    Pra celebrar,

    Do Eterno Amor, o seu nome em louvação!

 

2. Pois é lá que estão os tribunais,

    Tribunais da justiça real;

    Venham todos e implorem a paz

    Para Jerusalém!

    Viva tranquilo, em paz,

    Quem te amar,

    Dentro de ti, haja paz e todo o bem!

 

3. Por aqueles que são meus irmãos,

    Os amigos a quem quero bem,

    “Paz contigo!” será meu refrão...

    Por causa deste Templo,

    Do Eterno Amor a mansão,

    Do nosso Deus,

    “Que estejas bem!”, será minha oração.

 

(2) Hino: Sol resplendente  (ODC Part.II p. 118)

 

1. Sol resplendente,

    sobre os mortos, Senhor da vida!

    Vieste para que vejam os que não veem

    e curaste o cego de nascença...

    Vem, ó Senhor Jesus!

    Tu és a luz do mundo,

    que a tua Páscoa cantemos!

 

bendito seja, em nome do senhor,

aquele que vem salvar seu povo!

 

2. Pascal Cordeiro,

    que libertas a todos do exílio,

    vieste resgatar as ovelhas perdidas

    e com preço de sangue nos salvaste.

   

    Que grande alegria,

     Que grande alegria!

 

4. Como os riachos secos

    Lá do meu sertão,

    Muda, ó Eterno Amor,

    Nossa situação!

 

5.Quem vai penando, vai

   A semear sementes

   Mas chegou a safra

   A gente vem contente!

 

(6) Comunhão: Salmo 147 + Jo 3,19.21

(ODC Part. I p. 205)

 

A luz brilhou e veio o mundo iluminar

mas as pessoas amaram mais a escuridão...

Quem a verdade, porém, pratica se chega à luz,

E suas ações, em Deus agindo, resplenderão!

1.Louva Jerusalém,

    louva ao eterno bem!

   Tuas portas reforçou

   E os teus abençoou!

   Te cumulou de paz

   E o trigo em flor te traz!

 

2.Sua Palavra envia,

    veloz sua voz se avia;

    Qual lã a neve espalha,

    Qual cinza, a geada;

    Os gelos se dissolvem

    E, ao vento, as águas correm!

 

3.Ao Povo revelou,

    palavras de amor!

   A sua Lei nos deu

    e o Mandamento seu!

   Com ninguém fez assim,

   Amou até o fim!

________________________________________________________________________

Concílio Vaticano II – Constituição sobre a Igreja n Mundo de Hoje (Gaudium et Spes):

<<43. (... ...) As tarefas e atividades seculares competem como próprias, embora não exclusivamente, aos leigos. Por esta razão, sempre que, sós ou associados, atuam como cidadãos do mundo, não só devem respeitar as leis próprias de cada domínio, mas procurarão alcançar neles uma real competência. Cooperarão de boa vontade com os homens que prosseguem os mesmo fins. Reconhecendo quais são as exigências da fé, e por ela robustecidos, não hesitem, quando for oportuno, em idealizar novas iniciativas e levá-las à realização.  Compete à sua consciência, previamente bem formada, imprimir a lei divina na vida da cidade terrestre>>.

 

 

DOWNLOAD DO ARQUIVO →