O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

DESTAQUES SEMANAIS

CICLO PASCAL

19/02/2018

CICLO PASCAL

(Do livro Ofício Divino das Comunidades)

 

  Da quarta-feira de cinzas a festa de Pentecostes

 

                                               TEMPO DA QUARESMA

 

   Somos convidados a reviver os quarenta dias que Jesus passou no deserto se preparando para a sua missão. Lembrando a caminhada dos quarenta anos do povo de Deus no deserto, somos convidados a nos preparar melhor para a celebração anual da santa Páscoa por meio desse grande retiro da quaresma. É tempo de nos consagrarmos mais à escuta da Palavra de Deus, à oração, ao maior domínio de nós mesmos para nos converter ao Cristo e ao serviço generoso dos irmãos.

   É bom acordar mais cedo para a oração e ver como podemos intensificar mais que em outros tempos, o nosso compromisso de fé.

   A Campanha da Fraternidade nos pede para dar ao esforço de conversão próprio da quaresma, uma dimensão comunitária e uma forma bem concreta que expresse nossa comunhão e solidariedade com os irmãos e irmãs que vivem situações difíceis.

   "Deixando de lado tudo o que ficou para trás", dediquemo-nos aos ofícios com muito amor, e na alegria do Espírito Santo esperemos a santa Páscoa.

   A Semana Santa é a coroação do tempo da quaresma. Nos quarenta dias em que a comunidade experimentou com mais intensidade a exigência do seguimento de Jesus, teve a oportunidade de aprofundar a sua conversão pessoal e o seu compromisso social... agora é convidada a celebrar com autenticidade o mistério central da nossa fé: Jesus Cristo, morto-ressuscitado.       

   Acompanhando Jesus em Jerusalém, a comunidade cristã recebe em seu meio o Cristo Messias, que vem irradiar a sua luz, comunicar a sua paz e nos encher da sua alegria. Essa experiência acontece em cada celebração do ofício divino, em cada eucaristia...

   Organize sua vida de modo a fazer dessa semana um tempo de oração mais intensa capaz de reanimá-la e comprometê-la com a causa maior do Reino... assim você seja portador da "esperança que não engana nem decepciona..." (Rm 5,5). Que esta celebração nos motive a aprofundar a missão e a luta até que "Deus seja tudo em todos" (1Cor 15,28) e "toda lágrima seja enxugada e já não haja morte, nem luto, nem dor, porque estas coisas ficaram para trás" (Ap 21,4).

 

 

                                               PÁSCOA DO SENHOR

 

                                                   TRÍDUO PASCAL

 

   O tríduo pascal começa com a comemoração da Ceia do Senhor, na quinta-feira à noite. Esta Ceia costuma ser seguida de uma vigília de adoração, memória da agonia de Jesus no Horto das Oliveiras.

   A sexta-feira da paixão, páscoa da cruz, dia de jejuar "porque tiraram o esposo" da comunidade, é um dia de exaltação do Cristo Senhor, de sua glorificação na cruz.

            O sábado santo, dia de repouso, é comemoração do tempo em que o Senhor esteve na sepultura. Passamos este sábado maior em clima de silêncio, oração e expectativa.

   Surpreendendo a noite, as comunidades cristãs acordam ao amanhecer com seus vibrantes aleluias pela passagem do Deus libertador: "Eis o dia do Senhor!" É domingo! É a Páscoa da ressurreição! O ponto alto é a Vigília Pascal.

            Celebrando a Páscoa, este mistério maior, ao longo deste tríduo santo, as comunidades aprofundam sua fé no Deus dos oprimidos. Na vitória de Jesus nós saboreamos a nossa própria vitória sobre as forças da morte que imperam neste mundo, e nos animamos uns aos outros a assumir com garra e gosto a causa da vida, até que a páscoa definitiva, a libertação completa, aconteça e o reino de Deus irrompa em toda a sua amplitude.

 

                                                      TEMPO PASCAL

 

   "Este é o dia que o Senhor fez. Alegremo-nos e nele   fiquemos felizes" (Sl 118).

   Esta ação libertadora do Senhor acontece cada dia do ano e em toda nossa vida. Mas nós a celebramos com mais intensidade no tempo pascal. É como que um grande domingo. Dura cinqüenta dias, do domingo da ressurreição ao domingo de pentecostes.

   Participemos dos ofícios deixando-nos encher da alegria que brota da ressurreição de Cristo e da presença dele. O aleluia é o canto novo da vitória do Cristo e da comunidade dos filhos de Deus. É bom que o cantemos no meio das lutas da caminhada. Aleluia é um louvor pela força do Senhor presente em nossa fraqueza e é profecia da nossa vitória.

   A primeira semana da páscoa (oitava) é mais festiva. Nela recebemos o testemunho que os discípulos deram da ressurreição do Senhor. Por todo o tempo pascal, o círio (grande vela) abençoado na vigília do domingo, é uma imagem da luz do ressuscitado no meio de nós.                  

 

Novena de pentecostes

 

   A primeira novena cristã aconteceu quando Jesus mandou os apóstolos ficarem reunidos em oração junto com Maria, Nossa Senhora, esperando a vinda do Espírito Santo Consolador. Somos convidados a retomar esse costume e a nos dedicar mais nesses 9 dias, a pedir intensamente a vinda do Santo Espírito. No Brasil, como em vários países do mundo, esta semana antes de Pentecostes é consagrada como a semana de oração pela unidade dos cristãos. A divisão dos cristãos em tantas Igrejas é, nos lembra o Concílio Vaticano II, contrária à vontade de Jesus. É também um contra-testemunho para o mundo já dividido, e é um obstáculo à missão. Oremos ao Pai "para que os discípulos de Jesus sejam um, a fim de que o mundo creia" (Jo 17,19).

 

DOWNLOAD DO ARQUIVO →