O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

DESTAQUES SEMANAIS

Ano B - 2018 – TEMPO DA QUARESMA

03/02/2018

Ano B - 2018 – TEMPO DA QUARESMA

Sugestões para as equipes de Celebração

 


I - O sentido litúrgico da Quaresma:

 1- O mais importante da quaresma é a Páscoa: a festa central do cristianismo, o ponto alto do ano litúrgico cuja expressão máxima é celebração da Vigília Pascal.  Durante quarenta dias, a quaresma nos prepara para a festa da Páscoa, ajudando-nos a reviver a experiência do povo de Israel que amadureceu sua fé na travessia do deserto e a experiência de Jesus que assume sua missão, após intenso tempo de oração e jejum. Percorremos com Jesus o caminho da cruz e com Ele, passamos através da morte, à vida nova que o Pai nos concede pelo seu Espírito.
               É tempo de deixar tudo o que é velho em nós; tempo de nos abrir  à Vida sempre nova que brota da Cruz; tempo de nos tornar uma nova criatura, retomando a opção fundamental de nossa fé feita em nosso batismo, no desejo de um novo recomeço de nosso seguimento como discípulos(as) do Senhor.
 2- Celebramos a quaresma, festejando a busca da humanidade inteira por libertação, justiça, dignidade, reconciliação e paz e trazendo a Deus o clamor sempre mais forte do universo, que suspira em dores de parto por vida e liberdade, aguardando a manifestação  gloriosa dos filhos e filhas de Deus.
 3- Este ano, abraçamos com outras Igrejas cristãs, como “sinal pascal do Espírito”, a campanha da fraternidade, com o tema “FRATERNIDADE E SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA”. Assumimos a exigência que brota da fé cristã de unir as Igrejas cristãs no testemunho comum da fraternidade e luta pelo bem comum.

II- Lembretes e sugestões para as equipes de celebração;

 1- A quaresma começa na 4ª feira de cinzas e vai até a manhã da 5ª feira-santa.

 2- Preparar o ambiente da celebração dentro de certa sobriedade: cor roxa para as vestes litúrgicas e a ornamentação da  mesa da Palavra e do altar, sem flores; omitem-se o canto do Glória e do Aleluia e os instrumentos musicais fazem apenas o acompanhamento dos cantos durante a celebração, o que não significa tristeza, mas um "concentrar de energias para o grande  dia". O cartaz da CF com o lema : “EM CRISTO SOMOS TODOS IRMÃOS” (Mt 23,8) poderá ser ampliado e colocado em lugar de destaque.
 3- A cruz também ganha destaque e, seria bom, que ela fosse entronizada solenemente, incensada em cada celebração, ocupasse um lugar permanente e bem visível durante a quaresma e, a cada domingo fosse sendo enriquecida com símbolos ou gestos ligados aos textos bíblicos ou mesmo ao tema da CF-2018: "Fraternidade e superação da violência."
 4- Na 4ª feira que inicia a quaresma, a distribuição das cinzas, acompanhada pela frase evangélica, poderá receber neste ano, o acréscimo do tema da CF/2018 ou seja: "Converta-se, creia no Evangelho, promova a fraternidade e supere a violência”.
 5- Quem recebe as cinzas, em sinal de compromisso faça uma inclinação diante da cruz e beija a Bíblia aberta na mesa da Palavra. As cinzas que sobrarem poderão ser trazidas em oferta e, no final da celebração levadas aos doentes e pessoas que não puderam participar da celebração.
 6-  Uma acolhida pessoal e amorosa seja feita a cada pessoa e o abraço da paz seja um gesto intensamente vivido em cada celebração.
 7- O ato penitencial poderá receber também um destaque maior como anúncio da misericórdia de Deus e de apelo à conversão, ligado com a realidade da comunidade, com a situação de divisão entre nós cristãos e de  respeito à dignidade da pessoa humana, que atinge principalmente idosos, mulheres, crianças, negros, indígenas em nosso país. É bom fazê-lo diante da cruz e usar gestos, como: ajoelhar-se, inclinar-se ou o rito de aspersão, acompanhado de refrões ou cantos apropriados.
 8- Nas celebrações da Palavra ou mesmo nas celebrações da Eucaristia, o ato penitencial, em alguns domingos, poderá ser feito após a homilia, como resposta à interpelação que a Palavra de Deus nos faz.
 9- A liturgia da Palavra dos cinco domingos da quaresma do Ano B nos leva à participação do mistério de Cristo pela renovação do nosso batismo. Durante toda a  quaresma somos conduzidos e educados pelo Espírito, ao seguimento de Jesus. Vamos aprendendo a vencer o sofrimento, a cruz, a morte, e a realizar a Páscoa, a ressurreição, pela afirmação e vivência de nosso Batismo. Procurar destacar em cada domingo esta dimensão catecumenal, como itinerário de fé e de adesão crescente ao projeto de Jesus.
10- Ritualizar bem a entrada da Bíblia, a proclamação das leituras, o canto do salmo e da aclamação ao evangelho; há textos que poderão ser encenados; outros textos poderão ser dialogados, proclamados de cor, ou cantados.
11- É importante que a homilia (homilia significa "conversa familiar") não perca sua dimensão orante, dialogal, profética e mistagógica, evitando-se discurso racional, moralista, ou apenas temático, que possa abafar a proposta pedagógica da Quaresma.
12-A oração da Campanha da Fraternidade poderá ser rezada no momento da Oração dos fiéis, intercalando com um refrão apropriado.
13- Os cantos da Quaresma devem nos ajudar a contemplar e viver o mistério pascal do Cristo dentro de nossa realidade. É bom que não fiquem reduzidos aos cantos da CF. O  Hinário Litúrgico 2 da CNBB e o  Ofício Divino das Comunidades (publicados pela Paulus), oferecem cantos bem apropriados para a liturgia, sobretudo para os salmos, a louvação quaresmal (substituindo o prefácio), rito de aspersão, rito penitencial e, mesmo, para outros tipos de celebração próprias para este tempo, como: Via-Sacra, celebração penitencial, retiros espirituais etc.
14- É bom que, a cada domingo, a comunidade celebrante leve um compromisso bem concreto, brotado da celebração, para ser vivido durante a semana. E, no domingo seguinte, seja retomado no início da celebração como sinal de vida e conversão, ou como motivo de perdão. Assim, a quaresma será um caminhar pascal comunitário, progressivo e amoroso das trevas para a luz, da morte para a vida, da escravidão e exclusão para a liberdade e a dignidade dos filhos/as de Deus.
15- Para a bênção final, o Missal Romano sugere, na página 531, várias "Orações sobre o povo", acompanhadas pelo gesto de inclinar-se para receber  a bênção.
Seria bom aproveitá-las, assim como as orações de bênçãos próprias para a Quaresma (pp. 521 - 522 ) e os prefácios próprios (pp. 414 - 418).
   

 Maria de Lourdes Zavarez
    Escrito em Goiânia, 25 de outubro de 1999.
Data de atualização: 03/02/2018, em Nova Veneza - Fone: 62. 3356-1161
    

DOWNLOAD DO ARQUIVO →