O mistério na vida... Circulando, fluindo... nos elementos, nas estações. Palavra que brota, agir que floresce... A luz pascal que incendeia a festa da existência. A soma dos "ires-e-vires", de homens e mulheres que celebram, se encantam, e se enredam, no cuidado com o mundo, na busca do Reino.

DESTAQUES SEMANAIS

TRIGÉSIMO SEGUNDO DOMINGO DO TEMPO COMUM

10/11/2019

32º Domingo do Tempo do Discipulado e da Missão – C:

DOMINGO DO DEUS VIVO, DEUS DOS VIVENTES!

 

Lc 20,27-38

A seriedade com que Jesus responde à “piada” contada pelos saduceus, gozando com a crença na ressurreição dos que morrem, nos deveria inspirar uma séria reflexão sobre como encaramos a fatalidade da morte... Final de ano, Dia de Finados, Festa de Cristo Rei, que, também, poderia ser celebrada como “Festa do Julgamento Final”, é tempo de retomar, à luz da fé em Jesus Cristo, essa realidade com que nos defrontamos todos os dias, como coisa que acontece com os outros e, um dia, teremos que enfrentá-la como “coisa nossa”... Crer na ressurreição é uma intuição que explode como um raio nas noites de trovoada. É superar o absurdo de aceitar, por exemplo, que a caminhada de Abraão tenha terminado na escuridão do túmulo... que a Terra Prometida a Moisés e seu povo tenha tido como desfecho um cemitério... que a vida de Jesus, entregue por amor à humanidade tenha se esgotado no apodrecimento de um sepulcro... Assim como acreditamos que valeu a pena caminhar na fé, como Abraão... que valeu a pena perseguir, na esperança, os caminhos da plena liberdade, com Moisés... que o Amor de Jesus foi para sempre vitorioso, assim também, acreditamos que nosso peregrinar nesta terra, todo o esforço para torná-la, aqui e agora, o paraíso dos nosso sonhos, uma terra de justiça e fraternidade, de amor e de paz, terminará, infalivelmente, num futuro eterno de felicidade e paz... Importante é viver todas as realidades do cotidiano com a liberdade dos “anjos”, a criatividade dos artesãos, a paixão dos militantes, a certeza dos crentes. Escute, então, esta sugestão:

 "Se você está desanimado, se você não acredita em nenhum político, se você não acredita no Lula, no Haddad, no Bolsonaro, no Ciro, no Boulos, na Marina... Ainda assim, não desanime. Porque o político bom que você sonha, quem sabe, não esteja em nenhum de nós, esteja dentro de você. Então, ao invés de negar a política, assuma a responsabilidade de que o Brasil é seu, e lute!" LULA.

 

Eis que eu sou a ressurreição!

Eis que eu sou, em verdade, a vida!

E não há de morrer para sempre

Todo aquele que em mim acredita!

 

(4) Ofertório: SENHOR, AQUI TRAZEMOS

     (mel.: Pe. Jimenes “Senhor vos ofertamos”)

 

Senhor, aqui trazemos,

Em súplice oração,

/:O cálice com vinho

e na patena o pão!:/

 

O pão de nossas vidas,

Com a vida de Jesus,

/:Será a nossa oferta,

Será a nossa Cruz!:/

 

O vinho da alegria,

Das festas do teu povo,

/:Será, em Cristo, o Sangue,

Da Ceia o Vinho Novo!:/

 

Amigos e parentes,

Em marcha ou já defuntos,

/:Em torno a vossa Mesa,

Estamos sempre juntos!:/

 

(5) Comunhão: DEUS DOS MORTOS NÃO É NOSSO DEUS - Sl 103 + Lc 20,38 (HIN III p. 288)

 

deus dos mortos não é nosso deus!

nosso  deus é o deus dos viventes!

para  ele é que todos vivemos,

do  pão vivo comendo contentes!

 

1. Minh’alma, louva o Senhor,

    Seu nome seja louvado!

    Minh’alma, louva ao Senhor,

    Por tudo que me tem dado:

    /:Me cura as enfermidades

    E me perdoa os pecados!:/

 

2. Me tira da triste morte,

    Me dá carinho e amor;

    Com sua misericórdia

    Do abismo me retirou;

    E como se eu fosse águia,

    Vem renovar meu vigor!

 

3. Consegue fazer justiça

    A todos os oprimidos:

    Guiou Moisés no deserto,

    A Israel escolhido;

    Tem pena, tem compaixão

    E não se sente ofendido.

 

4. Guardando mágoa não fica

    E é lento pra castigar.

    É sempre cheio de amor

    E gosta de perdoar.

    Dos nossos erros não usa

    Para de nós se vingar.

 

­­­­­­­­­­­­­(1) Abertura: DE PAZ SÃO MEUS PENSAMENTOS 

     Sl 143 + Jr 29,11-14     (mel. 31 Dom. C)

 

de paz são meus pensamentos,

onde estiverem, onde estiverem,

onde estiverem,

os livrarei do sofrimento

 

1. Ó Senhor, escuta a prece

    Que te faço e o meu pedido!

    Vem! Me atende, Deus fiel!

    Eu preciso ser ouvido...

    Se vieres nos julgar,

    Todo mundo está perdido!

 

2. Lembro os dias do passado:

    Os teus feitos que me alentam.

    Eu estendo as minhas mãos,

    A minh’alma está sedenta

    Como terra esturricada,

    Ressequida e poeirenta.

 

3. Vem depressa, meu Senhor!

    Vem depressa me escutar!

    Meu espírito está fraco,

    Eu já estou pra desmaiar...

    Não me escondas o teu rosto,

    Para eu não me arrasar.

 

4. Vem, me ensina a fazer sempre,

    Ó Senhor, tua vontade!

    Teu Espírito me guie

    A uma terra conquistada.

    Vem, renova a minha vida,

    Das angústias libertada!

 

(2) Salmo de resposta: Salmo 17 “Ao despertar”  (HIN III p. 184s)

 

ao despertar, me saciará vossa presença

e verei a vossa face!

 

Ó Senhor, ouvi a minha justa causa,

Escutai e atendei o meu clamor...

Inclinai o vosso ouvido à minha prece,

Pois não existe falsidade nos meus lábios!

 

Os meus passos eu firmei na vossa estrada

E, por isso, os meus pés não vacilaram...

Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis,

Inclinai o vosso ouvido e escutai-me!

 

Protegei-me qual dos olhos a pupila

E guardai-me à proteção de vossas asas!

Mas eu verei, justificado, a vossa face 

E, ao despertar, me saciará vossa presença!

 

    (3) Aclamação: ALELUIA + Is 61,1

         (melodia do 29º Dom. CHIN III p. 244)

 

aleluiá! aleluia! aleluiá! aleluia!

aleluiá! aleluia! aleluia! aleluiá!

 

 

O Documento de Aparecida

- 2007 -

209. Os féis leigos (e leigas) são “os cristãos incorporados a Cristo pelo batismo, que formam o povo de Deus e participam das funções de Cristo: sacerdote, profeta e rei. Realizam, segundo sua condição, a missão de todo o povo cristão na Igreja e no mundo” (LG 31). São “homens (e mulheres) da Igreja no coração do mundo, e homens (e mulheres) do mundo no coração da Igreja” (Puebla 786).

210. Sua missão própria e específica se realiza no mundo, de tal modo que, com seu testemunho e sua atividade, contribuam para a transformação das realidades e para a criação de estruturas justas segundo os critérios do Evangelho. “O espaço próprio de sua atividade evangelizadora é o mundo vasto e complexo da política, da realidade social e da economia, como também da cultura, das ciências e das artes, da vida internacional, dos ‘mass media’, e outras realidades abertas à evangelização, como o amor, a família, a educação das crianças e adolescentes, o trabalho profissional e o sofrimento” (EM 70). Além disso, eles têm o dever de fazer crível a fé que professam, mostrando autenticidade e coerência em sua conduta.

211. Os leigos são também chamados a participar da ação pastoral da Igreja, primeiro com o testemunho de vida e, em segundo lugar, com ações no campo da evangelização, da vida litúrgica e outras formas de apostolado, segundo as necessidades locais sob a guia de seus pastores. Estes estarão dispostos a abrir para eles espaços de participação e confiar-lhes ministérios em responsabilidades em uma Igreja onde todos vivam de maneira responsável seu compromisso cristão. Aos/às catequistas, ministros (e ministras) da Palavra e animadores (e animadoras) de comunidades que cumprem magnífica tarefa dentro da Igreja, os/as reconhecemos e animamos a continuarem o compromisso que adquiriram no batismo e na confirmação.

_____________________________________

 

Comunidades Romeiras do Reino, no campo e na cidade, em busca da JUSTIÇA e PROFECIA A SERVIÇO DA VIDA! Para que o Reino de Deus aconteça “assim na terra como no Céu”!

 

DOWNLOAD DO ARQUIVO →